“Eu não quero ter rigorosamente nada em comum com quem está a definhar o meu partido, a excluir em vez de acrescentar, a tornar o PSD num partido ‘maneirinho e homogéneo’. O partido mediano e ideologicamente puro, onde só cabem amigos e acólitos subservientes, não é o meu PSD”, afirmou Teresa Morais na rede social Facebook.

A antiga governante de Pedro Passos Coelho declarou que “Rui Rio rejeitou o contributo dos ditos "passistas", como rejeitou desde sempre o legado de Pedro Passos Coelho”.

“O dr. Rui Rio e eu estamos, finalmente, em sintonia em alguma coisa: ele não conta comigo e eu não conto, seguramente, com ele. Fica assim claro que eu, com toda a serenidade, me retirarei da linha da frente do partido com uma coincidência assinalável de pontos de vista”, lê-se no seu ‘post’.

Teresa Morais, eleita por Leiria, disse ter-se despedido hoje “grata e reconhecida” da sua “gente” naquele distrito.

A antiga vice-presidente do PSD foi secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade no Governo de Pedro Passos Coelho, entre 2011 e 2015, tendo depois sido ministra da Cultura, Igualdade e Cidadania no breve executivo PSD/CDS-PP que antecedeu, em 2015, a formação do atual Governo de António Costa com o apoio parlamentar da maioria de esquerda.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.