Fonte da polícia da Costa do Marfim disse, num briefing com os media, que há pelo menos 12 mortos, incluindo quatro europeus: "Não sabemos, por enquanto, se há outras vítimas mortais."

Não se conhecem para já os motivos do ataque.

A rádio francesa RFI cita uma testemunha que diz ter ouvido tiros na praia, perto de vários hotéis. Segundo o site Connexionivorienne, os tiros começaram no hotel Koral Beach e prosseguiram em alguns estabelecimentos próximos. Ao site, uma testemunha disse: "Atiraram para toda a gente, sem escolher. Foram de hotel em hotel". Um outro site local, o Koaci.com, cita testemunhas que terão ouvido os atacantes gritar 'Allah Akbar', e sugere a hipótese de ataque jihadista.

A AFP cita também uma testemunha: "Os agressores fortemente armados e encapuzados disparam contra os ocupantes de L'Etoile du Sud, um grande hotel abarrotado de expatriados nesta época de seca". 

Vídeos publicados nas redes sociais mostram turistas em fuga no hotel Étoile du Sul e há imagens de corpos ensanguentados. O ataque terá durado alguns minutos. A polícia cortou o acesso à laguna na qual se situam os hotéis.

Os assaltantes estarão ainda em fuga, e abandonaram parte do equipamento - três granadas e carregadores de metralhadora, cuja imagem circula no Twitter.

Nos últimos meses houve atentados em hotéis de luxo de países vizinhos da Costa do Marfim. Os ataques do Mali e do Burkina Faso deixaram dezenas de mortos e aumentaram receios da influência dos grupos jihadistas nestes países da África ocidental. A Costa do Marfim tem sido, desde 2002, palco de conflitos que envolvem o norte muçulmano e o sul cristão, e que prosseguem apesar dos tratados de paz que foram sendo acordados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.