O tornado, que afetou cinco bairros da capital de Cuba com ventos de cerca de 300 quilómetros por hora, fez quatro mortos e 195 feridos, cerca de 70 dos quais permanecem hospitalizados, segundo números oficiais publicados hoje pelo jornal Granma.

Dos quase cinco mil desalojados, a maioria, 4.780, está em casas de familiares e 164 em centros estatais de acolhimento.

Até ao momento, cerca de 136 mil pessoas continuam sem eletricidade, 22.500 são abastecidas de água por camiões-cisterna e 12.834 estão sem serviço telefónico.

Os bairros mais afetados foram Regla, Guanabacoa, San Miguel del Padrón, Diez de Octubre e Habana del Este.

Três dias depois da passagem do tornado, algo que não acontecia em Havana há 80 anos, o Governo mobilizou centenas de militares para as operações de limpeza da cidade, onde escombros, automóveis, árvores e postes foram arrastados pelos ventos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.