O Grupo de Limpeza Urbana Musical (GLUM) - Arroiada pretende provar que “é possível fazer música com coisas que não são instrumentos” e que “as pessoas mais improváveis podem-se revelar os mais extraordinários artistas”, expressou à agência Lusa o diretor artístico do projeto, Pedro Calado.

Ao longo de dois meses, os 14 trabalhadores da limpeza urbana ensaiaram afincadamente os diferentes ritmos musicais e os passos que compõem a coreografia, com o objetivo de estrearem no festival Intendente em Festa, no sábado, às 21:30, no largo deste bairro lisboeta.

A coordenar o grupo musical nos ensaios, Pedro Calado considera “inspirador” o trabalho desenvolvido com o pessoal da limpeza urbana, explicando que é necessária “muita imaginação” e saber motivar os mais recentes “artistas musicais”.

“O simples facto de haver alguém que se lembrou deles e que se lembrou que eles podiam fazer mais qualquer coisa que não varrer as ruas para eles já foi lisonjeante”, realçou o diretor artístico, acrescentando que os trabalhadores da limpeza urbana são “muito apaixonados” pela profissão que têm.

Pedro Calado conta ainda que os trabalhadores têm gostado de participar no projeto: “Largarem a vassoura ao fim do dia e pegarem num pau e utilizarem mais ou menos os mesmos utensílios que usam no dia-a-dia, mas de uma forma radicalmente diferente”.

Habituado a conduzir o camião do lixo, Rogério Silva foi “um dos primeiros a dizer que sim” ao desafio de formar um grupo musical, pelo que agora faz música com os contentores.

“Isto é uma brincadeira que nós estamos a levar muito a sério”, garante o funcionário da limpeza urbana da freguesia lisboeta de Arroios, referindo que o grupo GLUM – Arroiada está “praticamente a 100%” para a estreia de sábado, apesar da ansiedade e do nervosismo.

Rogério Silva assume que tem sido “um pouco doloroso” os ensaios semanais ao final de um dia de trabalho nas limpezas, mas acredita que tem compensado o esforço.

Há 12 anos a trabalhar na higiene urbana da freguesia de Arroios, Ilda Sequeira confessa que achou “um bocadinho estranho” o convite para participar num grupo musical, mas depois começou a ir aos ensaios e acabou por gostar da iniciativa.

“Não tínhamos experiência nenhuma, mas acho que está a correr muito bem. Acho que todo o grupo está a gostar disto”, disse à Lusa a trabalhadora, explicando que o grupo musical tem ajudado a fortalecer a relação entre os trabalhadores.

Promovido pela cooperativa cultura LARGO, sediada na freguesia lisboeta de Arroios, o projeto artístico GLUM – Arroiada é inspirado no grupo musical britânico Stomp, que faz música com instrumentos não convencionais.

De acordo com a diretora do LARGO, Marta Silva, o projeto GLUM quer dar visibilidade aos funcionários da limpeza urbana, que têm um “dos trabalhos mais duros” e que “muitas vezes é invisível”, assim como fazer sensibilização ecológica.

Para a presidente da Junta de Freguesia de Arroios, Margarida Martins, “o importante é dar-se a conhecer as pessoas que trabalham na higiene urbana, que trabalham todos os dias na varredura e na lavagem das ruas”, defendendo que a população tem que ter mais respeito e mais atenção com a forma como tratam as ruas de Lisboa.

Depois da primeira edição do GLUM na freguesia de Arroios, a cooperativa LARGO pretende alargar o projeto às demais freguesias de Lisboa, deforma a que Lisboa seja reconhecida como “a cidade musicalmente mais limpa”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.