A mulher, de nacionalidade escocesa, foi detida na quinta-feira pela PJ, em Linhares da Beira, Celorico da Beira, distrito da . Além da apresentação no posto da GNR local, ficou sujeita a termo de identidade e residência.

Em comunicado, a PJ explicou que o cadáver, "que se julga ser de um escocês de 59 anos, foi localizado e exumado" na tarde daquele dia, numa quinta das proximidades daquele localidade, "por elementos da Polícia Judiciária da Guarda e do Laboratório de Polícia Científica".

"Concluiu-se assim uma fase da investigação, iniciada com a notícia do desaparecimento da vítima, procurando-se agora apurar as causas da morte", referiu a fonte.

A mulher foi hoje presente ao Tribunal de Celorico da Beira para ser julgada em processo sumário, mas a advogada, Andreia Fonseca, pediu um prazo para preparar a defesa e o julgamento ficou adiado para as 10:00 do dia 27 de fevereiro.

A detida chegou ao edifício do tribunal pelas 11:10 e abandonou as instalações por volta das 18:30, após ter sido submetida a primeiro interrogatório judicial.

Segundo informação do escrivão do Tribunal de Celorico da Beira, a detida ficou em liberdade mas sujeita a "uma apresentação periódica na segunda-feira", na GNR, até ao dia do julgamento em processo sumário.

A advogada de defesa da suspeita, Andreia Fonseca, disse aos jornalistas que se congratula pela decisão do tribunal de restituir a liberdade à arguida e que irá "aguardar os trâmites do processo".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.