De acordo com o organismo Wallonie-Bruxelles Enseignement (WBE), que gere os estabelecimentos de ensino na Valónia, cerca de 10 mil alunos são afetados pelo encerramento de ”escolas, colégios e liceus” de Bruxelas e da província de Brabant Wallon, a sul da capital belga.

“Ontem à noite [domingo], fomos informados por vários dos nossos diretores que tinham acabado de receber um e-mail ameaçador”, explicou Julien Nicaise, administrador geral da WBE, à estação RTBF.

A mensagem de correio eletrónico eletrónica mencionava a possível utilização de explosivos se fosse pago um resgate.

O serviço público de ensino em língua francesa justificou o encerramento referindo-se “ao respeito estrito pelo princípio da segurança”.

A maioria dos encarregados de educação foi avisada pelas escolas para manterem os filhos em casa durante o dia de hoje.

“A WBE está em contacto com as autoridades competentes e a situação está a ser constantemente avaliada. Vários locais já foram controlados ou estão a ser controlados. A situação vai ser reavaliada ainda hoje”, declarou o organismo através do portal oficial na internet.

No início de novembro, no regresso de um período de férias após o feriado do dia de Todos os Santos [01 de novembro], duas escolas já tinham sido evacuadas em Charleroi e Dinant, na Valónia, na sequência de ameaças de bomba recebidas por correio eletrónico.

Não foram encontrados engenhos explosivos.

Hoje, a rede escolar WBE lamentou “a proliferação deste tipo de alertas nas últimas semanas e as dificuldades que causam”.

Em França, foram registadas cerca de 800 falsas ameaças de bomba em escolas entre o início do novo ano letivo, em setembro, e meados de novembro, segundo a Secretaria de Estado da Juventude.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.