“O Governo português continuará a prestar assistência e apoio ao povo ucraniano, nomeadamente, através do donativo de medicamentos e produtos médicos e acolhimento de doentes e refugiados”, refere um comunicado do gabinete de Marta Temido, que participou na abertura 75.ª Assembleia Anual da Organização Mundial de Saúde (OMS) que está a decorrer na Suíça.

Marta Temido, que “condenou a agressão militar russa” à Ucrânia, salientou que “existe uma interdependência inegável entre a saúde e a paz” e alertou que os conflitos, para além das vítimas mortais, causam “fortes perturbações sociais e económicas”.

A ministra defendeu ainda que os profissionais de saúde, os hospitais e os estabelecimentos de saúde “jamais podem ser alvo de ataques”, afirmando ser necessário “trabalhar nos locais de conflito, desenvolvendo projetos que permitam alcançar resultados de saúde e a paz”.

A edição deste ano da Assembleia Anual, o órgão de decisão da OMS e que junta os ministros da saúde de mais de 100 países, é a primeira em formato presencial desde o início da pandemia da covid-19 em 2020.

Com o tema “Saúde para a paz, paz para a saúde”, o encontro anual da organização está, entre outras matérias, a debater o reforço da preparação e resposta às emergências de saúde e conta com a presença de delegações de todos os países membros da OMS.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.