Uma porta-voz da Comissão Europeia indicou hoje, em Bruxelas, que “está prevista uma chamada telefónica para mais tarde durante o dia de hoje com o secretário da Defesa norte-americano, John Kelly, e diversos ministros”, na sequência do anúncio, na passada terça-feira, por parte de um porta-voz em Washington, de que as autoridades dos Estados Unidos ponderam alargar aos voos provenientes da Europa uma medida já estava a ser aplicada a voos com origem em diversos países do Médio Oriente e África.

“O nosso interesse é permanecer informados, de modo a que possamos partilhar informação com os nossos Estados-membros sobre uma medida que pode afetar os viajantes europeus. Se existe uma ameaça séria em matéria de segurança, isso afeta a UE e nós queremos estar informados”, afirmou a porta-voz do executivo comunitário.

Em março passado, Washington decidiu proibir os passageiros de voos provenientes de oito países (Turquia, Egito, Kuwait, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Marrocos, Qatar e Jordânia) de transportarem consigo nas cabines dos aviões computadores portáteis, tabletes ou outros aparelhos eletrónicos com dimensões maiores a um telemóvel, alegadamente por grupos terroristas estarem a planear produzir explosivos com a aparência de baterias de aparelhos eletrónicos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.