Este espanhol -identificado com as iniciais J.S.A.- teve "um papel fundamental numa organização criminosa perigosa dedicada à introdução em Espanha e no resto da Europa de grandes quantidades de cocaína da América do Sul, bem como à lavagem de dinheiro".

Era procurado "desde 2013, sendo um dos 10 mais procurados pela Guarda Civil", segundo o comunicado publicado em Madrid.

No início de fevereiro, agentes especializados na busca de fugitivos em Espanha foram informados de que o narcotraficante estava na cidade portuária de Varna, no leste da Bulgária.

Os agentes evocaram "a possibilidade de ele andar armado e ter mudado significativamente a sua aparência física, tendo ganho mais de 50 quilos", disse a Guarda Civil, concluindo que a polícia búlgara confirmou esta informação e procedeu à detenção.

No momento de sua prisão, "carregava documentos espanhóis falsificados e planeava deixar o país [a Bulgária] para a Venezuela nos próximos dias", segundo o comunicado.

O cidadão espanhol Jorge A., de 43 anos, procurado por "participação numa organização criminosa internacional de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, solicitou sua extradição para a Espanha", durante uma audiência em 21 de fevereiro, anunciou o tribunal de Varna em comunicado publicado no seu site.

Sob a lei espanhola, Jorge enfrenta uma sentença de 13 anos e meio de prisão.

O criminoso foi preso a 17 de fevereiro. Ele estava na Bulgária desde abril de 2018.

O tribunal regional de Varna deve tomar uma decisão final sobre sua extradição no início da próxima semana.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.