Num frente a frente entre uma cabra-montesa e um urso pardo, o mais lógico seria que o animal mais pequeno não sobrevivesse. Contudo, é preciso olhar bem para as características dos dois: um é rápido e tem garras longas e afiadas, mas o outro tem chifres que podem ser fatais.

Assim, pode ter sido essa característica da cabra-montesa o que possibilitou um resultado diferente do esperado num combate no Canadá. Conta o The Guardian que os funcionários de um parque natural dizem que o pequeno animal se defendeu para não se tornar na refeição da fêmea de urso pardo, tendo sido capaz de matá-la com os seus chifres "parecidos com adagas".

Segundo os dados da recente necropsia forense realizada ao cadáver do urso, há evidências de que este tenha morrido após os chifres de uma cabra-montesa — que podem chegar aos 30 centímetros de comprimento — terem perfurado as axilas e o pescoço do animal que começou o ataque.

"Quando os ursos pardos atacam, tendem a concentrar-se na cabeça, na nuca e nos ombros da presa. Esse ataque geralmente vem de cima" disse David Laskin, ecologista de vida selvagem do Parks Canada. Por isso, "a resposta defensiva de uma cabra-montesa seria proteger-se usando os seus chifres afiados", completou.

Os restos mortais do urso, que pesaria apenas 70 kg, foram descobertos a 4 de setembro por um caminhante e a carcaça foi retirada de avião no mesmo dia, devido à preocupação de que pudesse atrair outros predadores.

Habitualmente, as cabras-montesas habitam o topo das montanhas e raramente descem, mas a sua área de pastagem pode coincidir com o habitat de ursos pardos, o que leva a encontros fatais. Apesar de o mais lógico ser o urso sair vencedor, tal nem sempre acontece.

"Os ursos colocam-se em risco ao atacar animas como alces e cervos. Há outros casos de cabras-montesas que mataram ursos defensivamente e que foram relatados no passado, mas raramente se encontra algo documentado como este", disse Laskin. "Isto definitivamente tem sido interessante — e um lembrete de que a natureza está cheia de surpresas", rematou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.