1. “Assassino invisível”: combustíveis fósseis causaram 8,7 milhões de mortes

Uma nova investigação da Science Direct revela que, no ano de 2018, um quinto de todas as mortes globais (8,7 milhões de pessoas) foram causadas pela poluição do ar agravada pela queima de combustíveis fósseis, como o petróleo e o carvão.  

Planeta A

Uma volta ao mundo centrada nos temas que marcam.

Todas as semanas, selecionamos os principais trabalhos associados à rede Covering Climate Now, que o SAPO24 integra desde 2019, e que une centenas de órgãos de comunicação social comprometidos em trazer mais e melhor jornalismo sobre aquele que se configura como um tema determinante não apenas no presente, mas para o futuro de todos nós: as alterações climáticas ou, colocando de outra forma, a emergência climática.

Os países com maior consumo de combustíveis fósseis para abastecer fábricas, residências e veículos são os que registaram um maior número de mortes – uma em cada 10 mortes nos Estados Unidos e na Europa e quase um terço das mortes no leste da Ásia (inclui a China) foram causadas pela poluição resultante destes combustíveis. Já na América do Sul e em África, as taxas de mortalidade foram significativamente mais baixas.

Para ler na íntegra no The Guardian 

Glacier burst aftermath in Uttarakhand, India
créditos: Lusa

2. Tragédia na Índia pode ser resultado de um rebentamento “muito raro” de bolsas de água em glaciares

Pelo menos 31 pessoas morreram e mais de 160 estão desaparecidas em Uttarakhand, Índia, depois de um aumento no nível de água no rio, que ganhou ainda mais força depois de chocar com duas barragens.  

Chamando-o de "acidente muito raro", cientistas disseram que imagens de satélite e do Google Earth não mostram um lago glacial próximo à região, mas existe a possibilidade de haver "bolsas de água" (lagos dentro dos glaciares) que possam ter rebentado. 

Para ler na íntegra no Times of India

Desabamento Rodovia 1 California
créditos: The Guardian

3. A famosa Rodovia 1 da Califórnia desabou na semana passada. E pode acontecer novamente

No início deste mês, uma seção da conhecida Rodovia 1 da Califórnia desabou no oceano. A icónica estrada costeira tem um histórico de deslizamentos de terra e especialistas dizem que "não seria surpreendente" voltar a acontecer com mais frequência.

O jornalista Gabrielle Canon explica que “com as mudanças climáticas e um aumento no turismo e no tráfego, sobrecarregando a infraestrutura e os ecossistemas ambientais na região costeira, os problemas só devem piorar.”

Para ler na íntegra no The Guardian

Carros elétricos
créditos: AFP

4. General Motors anuncia que quer superar a Noruega no mercado de veículos elétricos

A General Motors fez sucesso com o seu anúncio no Super Bowl, no qual Will Ferrell, Kenan Thompson e Awkwafina pediram que os EUA desafiassem o domínio da Noruega no mercado de veículos elétricos. 

Este anúncio vem na sequência de uma declaração que a empresa tinha feito no início do mês de que interromperá a produção de veículos a gasolina até 2035. 

Segundo Emily Atkin, não significa que os consumidores devem deixar de exigir boas práticas à GM, uma vez que durante os últimos quatro anos apoiaram “políticos negacionistas das alterações climáticas”.

Para ler na íntegra em Heated

Morreu Wilson Filipe, um dos líderes da ocupação da Torre Bela em 1975
créditos: TIAGO PETINGA/LUSA

Por cá: ICNF mantém suspensão da atividade de caça na Zona de Caça de Torre Bela

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) decidiu manter a suspensão da atividade cinegética na Zona de Caça de Torre Bela, na Azambuja, após inquérito às montarias realizadas em dezembro passado.

De acordo com a entidade, o inquérito instaurado para apurar as circunstâncias em que ocorreu o abate de cerca de 540 animais numa montaria, no distrito de Lisboa, foi finalizado.

O inquérito, segundo o ICNF, evidenciou o “abate de um excessivo número de exemplares de espécies cinegéticas, associado a fortes indícios de uma gestão não sustentável da exploração do efetivo de caça existente na Herdade da Torre Bela”.

Além de manter a suspensão da atividade cinegética, até à conclusão do inquérito em curso no Ministério Público, o ICNF decidiu também suspender os protocolos e acordos celebrados com as organizações do setor da caça de primeiro nível que, em articulação com o instituto, regulam a emissão de licenças de caça para não residentes em território português, a venda dos selos para marcação dos exemplares de caça maior abatidos em zonas de caça e a venda de livros de autorizações especiais de caça.

Para ler na íntegra no SAPO24

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.