Em comunicado, o executivo comunitário indica que “esta ajuda vem juntar-se ao financiamento de 33 milhões de euros já anunciado este ano e visa assegurar a assistência vital aos refugiados, às pessoas deslocadas e às comunidades de acolhimento no norte do estado de Rakhine em Myanmar, na Birmânia, e no distrito fronteiriço de Cox’s Bazar, no Bangladesh”.

Atualmente, quase um milhão de refugiados rohingyas vivem em campos de acolhimento no distrito fronteiriço de Cox’s Bazar, no Bangladesh, após terem fugido da violência no estado de Rakhine, no norte de Myanmar.

Os cerca de 600 mil rohingyas que ainda continuam em Myanmar, na Birmânia, estão numa situação de prolongada crise humanitária, com acesso limitado a serviços básicos e a subsistência devido às restrições impostas pela falta de reconhecimento da sua cidadania.

A ajuda agora divulgada visa a assistência humanitária básica, disponibilizando abrigos, serviços de saúde, água e saneamento, assistência nutricional, educação e serviços de proteção.

Desde 2017, a União Europeia já alocou mais de 140 milhões de euros para a crise do povo rohingya, tanto em Myanmar como no Bangladesh.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.