Em causa está um galardão dividido em quatro categorias, sendo que cada vencedor recebe um prémio monetário de 1.000 euros.

Na vertente humanitária, venceu Aléxis Sousa, estudante de Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas que é atualmente presidente da Associação Cura+, uma associação de voluntariado fundada em 2015 e que visa sensibilizar a sociedade para as desigualdades existentes no acesso a cuidados de saúde.

Já Bruno Guimarães, aluno de Doutoramento em Medicina, venceu a vertente pedagógica com a plataforma 'online' Apoio à Aprendizagem em Anatomia, um projeto que procura simular um exame prático das unidades curriculares da área da anatomia.

A UPorto também distinguiu, numa cerimónia que esta tarde decorreu no edifício da reitoria e serviu para assinalar o 107.º aniversário desta instituição, o empreendedor e estudante de Economia Filipe Sousa que está ligado a vários projetos, entre os quais a fundação da associação solidária 'Pão de Alegria'.

E a participação num projeto que pretende usar a prática de exercício físico como terapia para combater a doença de Alzheimer valeu a Flávia Machado, da faculdade de Desporto, o prémio Cidadania Ativa no domínio desportivo.

Os candidatos foram avaliados por um júri nomeado pelo reitor da UPorto, Sebastião Feyo de Azevedo, sendo que o elenco de jurados juntava professores e estudantes desta universidade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.