Em causa está o facto de o Tribunal Judicial da Comarca do Porto - Juízo Local Cível de Gondomar ter aceitado a lista de candidatura à Câmara mas rejeitado, por duas vezes, a lista à Assembleia Municipal.

"Estou confiante, mas seja qual for a decisão [do Tribunal Constitucional], avanço à Câmara porque não sou indiferente a emoções e, quando falta um mês e pouco [para as eleições], sinto a simpatia e o apoio dos gondomarenses", disse à agência Lusa, Valentim Loureiro.

O candidato, que governou o concelho de Gondomar ao longo de duas décadas - três mandatos pelo PSD e dois como independente -, considerou que "não há razão para rejeitar a candidatura porque não se provou qualquer aldrabice", garantindo que todo o processo foi "correto e transparente" mas "a interpretação da lei é dúbia".

"A candidatura à Assembleia [Municipal] foi rejeitada por uma única razão: um candidato que desistiu apresentou a sua declaração de desistência sem a assinatura estar reconhecida. Mas posteriormente foi apresentada uma declaração pelo próprio a dizer que a assinatura era verdadeira mas a juíza entendeu que esta segunda declaração reconhecida já foi fora de prazo e manteve a rejeição", descreveu o candidato.

Valentim Loureiro vai agora aguardar resposta do Tribunal Constitucional, garantindo estar "otimista" e reiterando que "nada" o impedirá de levar a candidatura à Câmara "até ao fim".

"Estou otimista mas sei o que são tribunais e já vi decisões erradas. Mas estou confiante. Nós temos pelo menos razão moral. Acho que a rejeição da candidatura [à Assembleia] se não for ilegal é imoral. Manterem a decisão do tribunal daqui [Gondomar] pode até ser legal mas é absolutamente imoral", afirmou.

Valentim Loureiro vincou que "6.000 pessoas assinaram a candidatura à Assembleia Municipal" e contou que "tem vindo a ser muito solicitado nas ruas de Gondomar" porque, disse, "ninguém se esquece das casas que construi e entreguei, e de todas as obras que fiz".

"Não estou a ver que exista quem se queira sobrepor à vontade desses eleitores. Mantenho a candidatura, vou avançar e vou deixar que sejam os gondomarenses eleitores a decidir. O PS e o PSD não queriam que eu avançasse. Bem tentaram. Não queriam que usasse a palavra ‘coração' mas em todo este processo levaram sopa", afirmou o candidato que utiliza o ?slogan' "Valentim Loureiro - Coração de Ouro".

São candidatos a Gondomar, para além de Valentim Loureiro, o atual presidente da Câmara, Marco Martins (PS), Rafael Amorim (PSD/CDS-PP), Daniel Vieira (CDU) e Rui Nóvoa (Bloco de Esquerda).

As eleições autárquicas realizam-se a 01 de outubro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.