“Entendi que essa circunstância podia afetar negativamente a imagem do Governo, coloquei a questão ao senhor primeiro-ministro e disse-lhe. ‘Aqui estou, venho colocar o meu lugar à disposição’”, detalhou Francisca Van Dunem, em entrevista esta quarta-feira à noite à RTP.

O magistrado português José Guerra foi nomeado em 27 de julho procurador europeu nacional na Procuradoria da União Europeia (UE), órgão independente de combate à fraude.

José Guerra foi indicado pelo Governo depois de ter sido selecionado em primeiro lugar pelo Conselho Superior do Ministério Público, mas após um comité europeu de peritos ter considerado como melhor candidata para o cargo Ana Carla Almeida.

Na "Grande Entrevista", Van Dunem disse ainda que apesar de ter aceitado acumular a pasta da Administração Interna, daqui a dois meses abandona mesmo a política.

“Mantenho a intenção de mudar de vida. Tenho muita coisa para fazer, preciso de escrever. Escrever sobre coisas que vivi. Como dizia o escritor cubano, ‘antes que anoiteça’", disse a jurista.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.