“Apelamos ao regime iraniano para que pare com todas as provocações. Responsabilizá-lo-emos por qualquer ataque contra as forças ou interesses americanos”, afirmou Patrick Shanahan numa declaração na rede social Twitter.

O envio do porta-aviões “Abraham Lincoln” e dos navios que o acompanham foi antecipado em duas semanas. Os navios, que estavam no Mediterrâneo, tinham prevista uma paragem na Croácia, entretanto cancelada.

O conselheiro para a Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, tinha afirmado no domingo que Washington vai reforçar o equipamento militar no Médio Oriente, numa mensagem “clara e inequívoca” para o regime iraniano.

Este destacamento pretende enviar uma “mensagem clara e inequívoca ao regime iraniano” de que “qualquer ataque aos interesses dos Estados Unidos ou dos seus aliados irá defrontar uma força implacável”, acrescentou.

“Os EUA não estão à procura de uma guerra com o regime iraniano, mas estamos totalmente preparados para responder a qualquer ataque”, assegurou Bolton.

Na declaração não foi especificada a razão do destacamento militar, mas esta surge num momento em que se intensificam as hostilidades entre o Estado hebraico e grupos armados do enclave palestiniano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.