O projeto tem como principal objetivo “dar vida ao coração da Malveira, uma zona de extrema prioridade para intervir”, no distrito de Lisboa, afirmou Hélder Sousa Silva, à agência Lusa.

O Plano de Regeneração Urbana engloba a recuperação de um edifício “em muito mau estado” de conservação, localizado no largo da feira, onde vai nascer a Casa da Cultura da Malveira, com biblioteca, zona de exposições, espaço multiusos e duas áreas museológicas dedicadas a Amândio Quinto, historiador local, e à atriz Beatriz Costa, natural do concelho.

Segundo o autarca, parte do espólio da atriz está exposto na Casa da Cultura D. Pedro V, em Mafra, onde há falta de espaço para mostrar aos visitantes o que está em reserva.

O município quer homenagear a atriz, não só lhe dedicando mais espaço museológico, mas também trazendo o espólio para a Malveira, vila à qual Beatriz Costa “tinha fortes ligações”.

O projeto integra também a requalificação do Largo da Feira, uma das mais antigas do país, e a Avenida José Baptista Antunes, rua que liga a estação de comboios à feira.

O Largo da Feira não só vai ser requalificado, mas também a circulação rodoviária e pedonal e os espaços dos feirantes vão ser reordenados.

Enquanto decorrerem as obras, previstas para ano e meio a dois anos, a feira vai ser deslocalizada para o atual mercado de revenda.

Hélder Sousa Silva adiantou que o concurso público para as obras da Casa da Cultura da Malveira deverá ser lançado em julho.

O projeto para o Largo da Feira está a ser concluído e deverá ser lançado a concurso ainda durante este ano.

Na quinta-feira, a Assembleia Municipal autorizou a câmara a contrair um empréstimo de 2,8 milhões de euros para as obras.

No empréstimo, a 20 anos, o município beneficia dos incentivos concedidos pelo Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas (IFRRU) 2020.

O espólio de Beatriz Costa procura também retratar a vida da atriz ligada ao cinema e ao teatro de revista, onde se notabilizou através das personagens de Alice, a costureira de "A Canção de Lisboa", e a lavadeira Gracinda, de "A Aldeia da Roupa Branca".

No concelho, foi inaugurado em 1934 o Cine-Teatro Beatriz Costa, na Malveira, que já não existe.

Beatriz Costa, pseudónimo de Beatriz da Conceição, nasceu a 14 de dezembro de 1907 na localidade de Charneca do Milharado, freguesia da Venda do Pinheiro, no mesmo concelho, onde passou os primeiros anos da infância.

Morreu a 15 de abril de 1996, aos 88 anos de idade, num quarto do sexto andar do hotel Tivoli, em Lisboa, e o seu corpo está sepultado no cemitério da Malveira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.