“Precisamos de vencer o Mónaco. Dizemos a nós próprios que vai ser um jogo difícil e não que eles apresentam uma equipa de reserva. É fundamental qualificarmo-nos para os oitavos de final. É o mínimo para uma equipa como o FC Porto”, observou o avançado, em entrevista à AFP.

O FC Porto ocupa o segundo lugar do Grupo G, já virtualmente vencido pelos turcos do Besiktas, e tem, pelo menos, de obter o mesmo resultado dos alemães do Leipzig, com os quais está empatado, enquanto o Mónaco ocupa o último lugar, já sem hipótese de se apurar sequer para a Liga Europa.

Apesar de poder alinhar na quarta-feira com vários habituais suplentes, Aboubakar acredita que a equipa treinada pelo português Leonardo Jardim, campeã de França, “não está desmotivada” e tem a vantagem de se apresentar no Estádio do Dragão “sem nada a perder”.

O internacional camaronês manifestou-se muito agradado com o relacionamento em campo com o colega de equipa Marega, considerando que o avançado maliano complementa as suas características, tendo marcado em conjunto 17 golos na I Liga, em 13 jogos.

Aboubakar atribuiu o seu empréstimo ao Besiktas, na época passada, a “uma decisão do treinador” da equipa portuense, Nuno Espírito Santo, afirmando não se arrepender da passagem pela Turquia, apesar de se manifestar “feliz no FC Porto”.

O avançado disse ainda que não está obcecado pela conquista do troféu de melhor jogador africano de 2017, mas lembrou que se sagrou campeão turco e que marcou o golo decisivo na vitória dos Camarões na final da Taça das Nações Africanas (CAN), sobre o Egito, por 2-1.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.