O documento referente ao período entre 01 de julho de 2020 e 30 de junho de 2021, que apresentava um resultado líquido negativo de 32,96 milhões de euros, foi aprovado por maioria, com 627.716 votos a favor, 273 contra e 22 abstenções.

A reunião magna da SAD ‘verde e branca’ aprovou ainda, com 627.805 votos a favor e 206 contra, a autorização para a administração avançar com “uma ou mais emissões obrigacionistas, até ao montante máximo de 50 mil euros”, até 30 de setembro de 2022.

Outros dois pontos da ordem de trabalhos também foram aprovados por larga maioria, casos da proposta de aplicação dos resultados e do voto de confiança à administração da sociedade, tendo as propostas referentes à remuneração dos titulares dos órgãos sociais sido aprovadas, mas com maior oposição.

Em causa estavam os aumentos dos vencimentos do presidente da SAD do Sporting, Frederico Varandas, de 147 para 182 mil euros por ano, e dos outros elementos do conselho de administração, de 98 para 131 mil euros anuais, assim como os prémios de desempenho em 2020/21, ano em que a equipa de futebol se sagrou campeã nacional.

A proposta de remuneração variável relativa ao exercício 2020/21 foi aprovada, com 427.696 votos a favor, 200.314 contra e uma abstenção, tal como o relatório sobre as remunerações do mesmo período (427.711 votos favoráveis, 200.295 contra e cinco abstenções) e a política de remunerações para 2021/22 (427.717 a favor, 200.292 contra e uma abstenção).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.