1 de dezembro, dia da Restauração da Independência, calhou, este ano, ser noite de clássicos do futebol português. Em Alvalade, o dérbi da cidade de Lisboa opôs Sporting Clube de Portugal ao Futebol Clube “Os Belenenses”, e a norte, na cidade Invicta, o Futebol Clube do Porto recebeu o Sport Lisboa e Benfica.

No clássico entre os verdes e brancos e os azuis do Restelo, exatamente 110 depois de um dérbi eterno entre Sporting e Benfica (na altura Sport Lisboa) e 377 anos após o país recuperar a independência perdida para o reino de Espanha, o jogo começou com o Hino de Portugal “A Portuguesa”, seguido de um especial “O Mundo sabe que”, com direito a uma “legenda” especial: vários atletas leoninos, nos dois ecrãs do estádio, cantaram com língua gestual acompanhando os 46.881 espetadores presentes do Alvalade XXI.

No dia em que se recordam os heróis portugueses, Bas Dost inscreveu o seu nome na história do clube ao marcar o 50.º golo de leão ao peito na marcação de uma grande penalidade, aos 11’.

Depois de uma primeira parte com poucos lances de perigo, o segundo tempo trouxe um Sporting mais ofensivo e quer Bryan Ruiz, quer William Carvalho poderiam ter dado outra expressão ao marcador.

O encontro marcou o regresso de Pereirinha e de Domingos a Alvalade, e de Bryan Ruiz (tinha voltado na jornada anterior).

Com esta vitória no jogo da 13.ª jornada, o Sporting, aguarda o desfecho do Porto-Benfica e sobe, isolado, à condição, à liderança da Liga NOS, facto que sucede pela primeira vez esta época.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.