“Talvez precise de mais uns mandatos para o Sporting ganhar a Liga de Campeões. Vamos ver o que acontece”, disse Bruno de Carvalho, presidente do Sporting Clube de Portugal, durante o painel “The business of football”, no encerramento do segundo e último dia de conferências dedicadas ao desporto que decorreram na web summit 2016, em Lisboa.

A promessa veio no seguimento da pergunta feita pelo jornalista e moderador Ken Early (Irish Times) sobre as possibilidades de um clube português vencer uma competição europeia e sobre o fato do atual treinador dos leões, Jorge Jesus, ter chegado a duas finais da Liga Europa, ao serviço dos rivais. Ora uma competição europeia é algo que Bruno de Carvalho, “caso seja eleito” nas eleições de Março de 2017, promete vencer. Mas primeiro “há que reduzir a diferença para o Porto e para o Benfica”.

Falando sobre futebol e negócios, o presidente dos leões garantiu que o contrato feito no âmbito dos direitos televisivos “foi bom” tendo sido “o mercado” que ditou os valores que “estavam em cima da mesa”, assegurou. “Daqui a 10 pode ser barato....mas está tudo a mudar e muito rápido”, acrescentou.

Os fundos de investimento são uma batalha antiga de Bruno de Carvalho. “Somos exemplo que não necessitamos de fundos”, atirou. “Podemos procurar parceiros financeiros que não são donos de clubes e de jogadores. Procuramos soluções que não passam por quem não conheço”, continuou. “O meu clube tem valores e história e não quero estar ligado a quem tem dinheiro em Malta e me obriga a fazer negócios”, concluiu.

Em relação aos negócios que envolvem jogadores, Bruno de Carvalho relembrou que esta época fez “bons negócios sem o Mendes" (empresário Jorge Mendes) e que um bom contrato é aquele que se traduz na entrada de dinheiro no clube. “Preferimos vender um jogador por 10 milhões de euros e receber 10 milhões”, numa clara alusão aos milhões de comissões que são pagas nas vendas.

É estranho estar no futebol é só ouvir falar de corrupção

As redes sociais e a internet não são, em certa medida, por enquanto, aliados do negócio do futebol. Seja pela fuga de espetadores para “o streaming” e outras formas utilizadas que contornam a pay tv (televisão paga), seja pelo fato de “antes o futebol ser um entretenimento único e agora perder a guerra com os social media”, sustentou o presidente do Sporting. “Temos que estar preparados para mudar o pensamento das pessoas e trazer fãs dos social media”, afirmou.

Reconhecendo ficar nervoso com a saída dos fãs do futebol, durante os 25 minutos que falou, Bruno de Carvalho deixou um lamento: “é estranho estar no futebol e só ouvir falar de corrupção”. Assegurou que quer que “algo mude” no desporto onde hoje “há falta de valores”. A perda de adeptos poderá ser causa e consequência desses fatos, pelo que o presidente dos leões sustenta que o futebol “tem que dar dignidade e valores sociais”.

Ronaldo no Sporting ... aos 41 anos

A Academia do Sporting e os jogadores made in Alcochete são uma das bandeiras do clube. A maior de todas é Cristiano Ronaldo. No final da sua intervenção, o presidente do Sporting disse que continua a acreditar na possibilidade do CR7 terminar a carreira de futebolista em Alvalade. “Acredito que pode ser no final da carreira. No caso dele, não será aos 37, 38 anos, será aos 41” afirmou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.