Pimenta, que esta época conquistou três medalhas nos mundiais e outras tantas nos europeus de velocidade (regatas em linha), prolongou a época para poder competir em casa, brindando milhares de fãs com uma prova irrepreensível que lhe valeu inédito ouro.

Pimenta, que esteve sempre na frente, cumpriu a prova em 12.49 minutos, batendo o dinamarquês Mads Pedersen, que ainda forçou na reta final, por 65 centésimos de segundo.

O último lugar do pódio foi para o espanhol Ivan Alonso, a 19,48 segundos, numa prova em que José Ramalho, campeão em 2021, foi oitavo, a 31,87, depois de um problema na primeira portagem que o atrasou, irremediavelmente.

Pimenta não competia em maratonas desde 2012, nos mundiais de Roma, quando foi vice-campeão do Mundo de sub-23 e bronze em seniores, em dias consecutivos.

No sábado, Pimenta e Ramalho competem na prova longa de K1 e no domingo vão fazer equipa em K2.
Os mundiais de maratonas juntam até domingo 890 canoístas, oriundos de 36 países.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.