Diego Lugano foi a figura central deste burburinho. Lenda do São Paulo e da Seleção Uruguaia, Lugano é, atualmente, dirigente do clube paulistano e cumpre um papel bastante ativo na gestão do plantel e em negociações. Durante uma entrevista a uma rádio argentina, o ex-capitão disse que se Cavani voltar à América do Sul, pelo bom relacionamento entre os dois, o São Paulo está à frente do Boca Juniors, outrora apontado como possível destino do uruguaio.

Foi o suficiente para agitar a calmaria das poucas notícias de mercado nesta quarentena. Os jornalistas já começaram a especular, à procura de informações e a notícia de um parceiro que suportaria os custos com salários em troca da exploração da imagem do jogador apareceu. Até o treinador Fernando Diniz entrou na febre e disse que não era impossível e que o jogador era muito bem-vindo.

Fora o excesso de atenção dada a essa notícia, fruto da ausência de notícias mais importantes, o barulho interessa ao São Paulo, já que mantém expostos patrocinadores e a sua própria marca, mesmo sem jogos. Cavani, com a qualidade que tem, faria a diferença facilmente no Campeonato Brasileiro e teria espaço em todos os clubes, inclusive no Flamengo. Mas, nesse momento de incerteza financeira, pensar nisso é uma irresponsabilidade enorme de um clube que já não estava bem de caixa.

Daniel Alves chegou com rendimentos acima do mercado brasileiro, mas abaixo do que recebia na Europa. O seu custo, de salários e luvas, seria pago, segundo o clube, com uma operação de marketing que envolveria parceiros variados na exploração da imagem do jogador. Apesar de alguma especulação de nomes como a DAZN — plataforma de streaming dedicada ao desporto e disponível no Brasil —, nenhum contrato foi fechado até agora e o custo foi 100% suportado pelo clube. O São Paulo fechou 2019 com déficit de 32 milhões de euros e no orçamento de 2020, somente com boas vendas de atletas conseguiria ficar no azul.

Portanto, num momento em que o mundo se prepara para a crise económica criada pelo coronavírus, um clube que já passaria aperto naturalmente não pode ser tão irresponsável. Torço para que seja somente uma jogada mediática, algo comum no futebol.

Entretanto, a discussão causada por esta notícia deixa claro, que apesar de o Flamengo ter dado a receita de como arrumar as finanças pode dar uma vantagem competitiva grande no futuro, tanto adeptos como a imprensa brasileira, ainda não se desenvencilharam das armadilhas da cultura de má gestão no desporto brasileiro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.