Dayro Moreno, aos dois e 66 minutos, e Andrés Ibargüen, aos 31 e 79, marcaram os golos da formação colombiana, que assegurou o seu sétimo título internacional, enquanto Tulio de Melo, aos 82, reduziu para os brasileiros, que ficaram em inferioridade pouco depois, por expulsão de Andrei Girotto.

O embate, presenciado pelos sobreviventes Alan Ruschel, Helio Neto e Jackson Follmann, foi antecedido de homenagens à vítimas do acidente de novembro de 2016.

O guarda-redes Arthur Moraes, que jogou no Benfica e no Sporting de Braga, foi titular na Chapecoense, que regressou a solo colombiano, cinco meses depois do acidente aéreo que vitimou 71 pessoas, a maioria das quais da equipa brasileira.

As equipas deviam ter-se defrontado em 29 novembro de 2016, na final da Taça Sul-Americana, mas o avião que transportava a equipa brasileira caiu, matando 71 pessoas, e o troféu foi atribuído à Chapecoense, por proposta do clube colombiano.

O Atlético Nacional já tinha vencido a Taça Libertadores, a principal competição de clubes da América do Sul, o que lhe garantiu a presença na Supertaça, a disputar com o detentor da Taça Sul-Americana.

Em 29 de novembro, 19 futebolistas da equipa brasileira morreram num acidente perto de Medellin, quando o avião a caiu por falta de gasolina: a aeronave transportava 77 pessoas, sendo que 71 faleceram.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.