A prodígio norte-americana, de 15 anos, estava a disputar pela primeira vez o quadro principal do US Open com um ‘wild card’, atribuído após ter alcançado a quarta ronda em Wimbledon, e chegou à terceira ronda em Flushing Meadows, onde defrontou a campeã em título Naomi Osaka.

Perante a nipónica e líder do ‘ranking’ WTA, Coco Gauff não encontrou argumentos para continuar a alimentar o sonho de aceder à segunda semana do ‘major’ norte-americano, uma vez que foi eliminada por 6-3 e 6-0, em uma hora e cinco minutos.

No final do encontro disputado no Arthur Ashe Stadium, com mais de 23.700 pessoas a assistir, a adolescente desfez-se em lágrimas e Osaka, que venceu o primeiro dos seus dois títulos do ‘grand slam’ batendo Serena Williams na final em Nova Iorque, não poupou no consolo e nos elogios.

“Se ainda estão aqui, é porque estão a formar uma jogadora fantástica. Lembro-me que costumava ver-vos a treinar no mesmo sítio que nós. O facto de ambas termos conseguido e continuarmos a trabalhar arduamente, é incrível. Penso que vocês são maravilhosos. Coco, penso que és fantástica”, elogiou Osaka em ‘court’, onde convidou a adversária para uma entrevista conjunta.

Consumado o triunfo, a líder da hierarquia mundial, que parece estar totalmente recuperada da lesão no joelho esquerdo, que a obrigou a desistir nos quartos de final em Cincinnati, vai defrontar nos oitavos de final a suíça Belinda Bencic (12.ª circuito WTA), que beneficiou na terceira ronda da desistência da adversária estónia Anett Kontaveit com uma infeção viral.

Na competição masculina, e já depois do apuramento de Rafael Nadal, Alexander Zverev e Marin Cilic, durante a sessão diurna em Flushing Meadows, foi a vez de Andrey Rublev assumir especial protagonismo.

O russo, que figura no 43.º lugar do ‘ranking’ ATP, disputou o acesso aos oitavos de final com o australiano Nick Kyrgios (30.º ATP) e, em três ‘sets’, com parciais de 7-6 (7-5), 7-6 (7-5) e 6-3, encontrou o antídoto para os 30 ases do adversário, ganhando o duelo em uma hora e 51 minutos.

Andrey Rublev, de 21 anos, que há dois anos alcançou os quartos de final em Nova Iorque, onde se tornou então o mais jovem jogador entre os oito finalistas desde Andy Roddick, em 2001, vai medir forças na próxima ronda com o italiano Matteo Berrettini, responsável pelo desaire do australiano Alexei Popyrin, por 6-4, 6-4, 6-7 (3-7) e 7-6.

Tarefa mais complicada teve o francês Gael Monfils, 13.º colocado no ‘ranking’ mundial, para afastar o canadiano Denis Shapovalov rumo aos oitavos de final. O semifinalista de 2016 precisou de cinco partidas para superar o jovem, de 20 anos que ocupa o 33.º posto na hierarquia ATP, por 6-7 (5-7), 7-6 (7-4), 6-4, 6-7 (6-8) e 6-3, ao cabo de três horas e 34 minutos no Louis Armstrong Stadium.

Na quarta ronda pela sexta vez na carreira, o francês Gael Monfils, de 32 anos, vai encontrar o espanhol Pablo Andujar (70.º ATP) que, até eliminar o cazaque Alexander Bublik, por 6-4, 6-3 e 6-2, nunca havia passado da segunda jornada no US Open.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.