Numa carta, divulgada na terça-feira pelo jornal Corriere de la Serra, o COI lembra ao Comité Olímpico Italiano (CONI) lembra que “pertencer ao movimento olímpico exige estar em conformidade com a carta olímpica”.

Em causa está um artigo do projeto-lei que propõe que o CONI possa ser “reorganizado por decisões unilaterais do governo”.

O COI lembra que a Carta Olímpica autoriza o seu Conselho Executivo a tomar as decisões apropriadas, incluindo a suspensão, “para a proteção do movimento olímpico no país de um estado membro”.

Este aviso surge menos de dois meses depois da escolha da candidatura Milão/Cortina d’Ampezzo para a organização dos Jogos Olímpicos de Inverno2026.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.