Os incidentes violentos protagonizados pelos adeptos na final de Wembley, do Euro2020, disputado no verão de 2021, devido à pandemia de covid-19, acabaram por deixar marcas um pouco por toda a cidade de Londres e, principalmente, no palco do encontro, no qual a seleção italiana venceu precisamente a Inglaterra.

“Todos sabem o fervor em torno de uma candidatura ao Campeonato do Mundo, um projeto enorme e caro. É triste, porque estamos idealmente equipados para receber este torneio, mas temos um enorme problema de reputação a nível internacional neste desporto”, lamentou Julian Knight, em declarações prestadas à agência britânica PA.

Doze partidas do Euro2020 foram realizadas em Wembley e na Escócia, mas os atos de violência aconteceram antes do derradeiro encontro, quando centenas de adeptos, sem ingressos, forçaram a entrada no palco da final, entrando em confrontos com a polícia.

Mais tarde, a UEFA impôs à Inglaterra um castigo de dois jogos disputados à porta fechada, sendo um de forma suspensa, e uma multa de 100 mil euros.

Além do Reino Unido, que junta vários países que têm seleções individuais (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte), concorrem à organização do Campeonato do Mundo Espanha e Portugal, numa candidatura conjunta, Marrocos, em África, e o quarteto sul-americano Uruguai, Paraguai, Chile e Argentina.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.