O caso disciplinar remonta a declarações publicadas no Dragões Diário a 02 de maio e que vão levar o clube a pagar 3.825 euros por “violação da honra e reputação do árbitro Tiago Antunes”, sendo que pela mesma infração o diretor de comunicação foi castigado em 1.454 euros e suspenso por 22 dias.

Em causa a visita a Braga (1-1) na 29.ª jornada da Liga e a polémica expulsão de Brahimi no banco de suplentes do FC Porto, indicada pelo quatro árbitro, Tiago Antunes, que lhe valeu dois jogos de castigo.

“Aquando uma situação de protestos por parte de todo o banco de suplentes do FC Porto, com o jogo interrompido, o jogador dirigiu-se ao quarto árbitro a gritar palavras de forma brusca e agressiva, tendo encostado a sua face à face daquele. As palavras proferidas foram impercetíveis”, referiu, na altura, o árbitro Hugo Miguel no seu relatório.

O FC Porto reagiu negando os factos e exibindo imagens que mostram Tiago Antunes a não reagir a supostos insultos de um jogador do Sporting de Braga, acusando, por isso, Tiago Antunes de “mentir” e de “dualidade de critérios”.

Em análise esteve também a “violação da honra e reputação do conselho de disciplina da federação portuguesa de futebol e dos seus membros”, mas o órgão visado absolveu tanto o FC Porto como Francisco J. Marques.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.