“Em caso da existência de um caso positivo, o mesmo terá obrigatoriamente de confirmar o resultado por teste rápido antigénio laboratorial ou PCR”, esclareceu a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Estas novas medidas foram acertadas entre o consultor médico da LPFP, Filipe Froes, e os médicos dos clubes, em reunião realizada na quinta-feira, na qual foram prestados esclarecimentos sobre as alterações às novas diretrizes da Direção-Geral da Saúde (DGS).

“Os médicos estão preocupados e têm nas mãos a responsabilidade de manter a competição a decorrer dentro da normalidade, pelo que reiteraram a manutenção das normas de segurança e higienização nos clubes, bem como a testagem em massa aos respetivos grupos de trabalho”, especifica a LPFP, em comunicado.

No documento, é relembrado que as equipas envolvidas nas competições europeias devem ter o cuidado de se informar e respeitar as regras de combate à covid-19 nos países onde vão jogar.

Os médicos das sociedades desportivas “estão conscientes dos cuidados redobrados que devem ter”, sobretudo no que diz respeito a “bolhas, treinos em grupo, uso de máscara em zonas comuns e desinfeção frequente das mãos”.

A LPFP recorda o seu comprometimento com a segurança das competições e dos atletas, definindo um plano cuidadoso, “apesar das normas em vigor não obrigarem à realização de testes em determinados casos”, nomeadamente para detentores de dose de reforço há mais de 14 dias, ou portadores de certificado de recuperação, desde que assintomáticos.

Na próxima semana, o grupo volta a reunir de forma a atualizar as normas mediante a situação pandémica e eventuais diretrizes da DGS, bem como esclarecer dúvidas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.