A Internet deu poder de julgamento à voz popular. Com mais força e mais mobilizável, a voz dos torcedores passa a ser mais ativa no dia-a-dia dos clubes. Nesta janela de transferências, é ainda mais visível a rejeição, pelo menos de parte da torcida, de jogadores e treinadores que tenham estado envolvidos em casos de violência contra mulheres no passado.

A situação mais marcante aconteceu com Robinho, ídolo da torcida do Santos e jogador de grande destaque mundial. O internacional brasileiro viu a sua contratação barrada pela pressão popular neste último ano. O jogador foi condenado num caso de violação em Itália e estava em julgamento durante as negociações com o clube santista.

Robinho chegou a assinar contrato, transformado, depois, numa carta de intenções que seria concretizada após o julgamento, caso não fosse considerado culpado. Mas foi. E o Santos espera apenas o fim do prazo legal para desistir, oficialmente, da contratação do jogador. A forte mobilização da imprensa e de torcedores, nas redes sociais, impediram o retorno do Rei das Pedaladas.

Caso semelhante aconteceu com o técnico Cuca, condenado nos anos 80, com outros quatro jogadores do Grémio, na Suíça, durante uma excursão do clube em que alguns atletas envolveram-se com uma menor de idade. O treinador, segundo as informações divulgadas no julgamento, foi condenado por participação no caso, como um espectador.

A recente contratação de Cuca pelo Atlético-MG reviveu o caso praticamente esquecido, 30 anos depois. Nem a sua carreira de sucesso construída nos últimos anos e a idolatria da torcida do mesmo Atlético-MG, impediu que parte dos torcedores criasse uma campanha contrária à sua contratação. Cuca, diferentemente de Robinho, já teve a pena prescrita após tantos anos. Diferente de Robinho, também, Cuca foi contratado pelo clube.

Outro jogador que tem sofrido com o seu comportamento fora de campo é o guarda-redes Jean. Há dois anos, quando estava no São Paulo, Jean agrediu a sua companheira durante uma viagem aos EUA e acabou preso. Libertado alguns dias depois, foi afastado pelo clube que estudava formas de rescindir o seu contrato. Acabou emprestado ao Atlético Goianiense, mesmo sob protestos dos torcedores.

Após uma boa época, Jean é rejeitado pela maioria da torcida em todos os clubes a que tem sido associado esta época. Depois de notícias apontarem para uma suposta transferência para o Grêmio, a hashtag #JeanNao era trending no Twitter brasileiro. O futuro do jogador, agora, pode estar numa transferência para Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.