À terceira presença olímpica foi de vez. Aos 29 anos, Ana Marcela Cunha conseguiu a sua primeira medalha olímpica, que junta a 11 conquistadas em mundiais, das quais quatro de ouro.

A brasileira, que há cinco anos foi 10.ª classificada nos Jogos do Rio2016, repartiu o pódio com a holandesa Sharon van Rouwendaal e com a australiana Kareena Lee, medalhas de prata e bronze, respetivamente.

"Esta medalha de ouro representa muito para mim", afirmou a atleta nascida em Salvador. "Em 2008 não tive nenhuma chance de ganhar, em 2012 não me classifiquei e no Rio não respondi à prova como o meu treinador e eu esperávamos", disse a campeã olímpica.

Contudo, a história da sua participação nestes Jogos Olímpicos fica marcada, não só pela medalha que leva ao peito, mas também por uma fotografia que já corre as redes sociais: enquanto nadava, um peixe saltava ao seu lado.

O pequeno peixe — da espécie japonesa kohada, muito utilizada para sushi — foi captado pelo fotógrafo brasileiro Jonne Roriz, do Comité Olímpico Brasileiro (COB), que já reagiu à repercussão da 'chapa'.

"Esse peixinho foi longe!! Muito feliz aqui com a repercussão dessa foto!", pode ler-se numa publicação ilustrada com vários artigos da imprensa brasileira.

A portuguesa Angélica André, a fazer a estreia olímpica, aos 26 anos, acabou em 17.º lugar, entre 25 participantes, a 5.09 minutos da vencedora, igualando o melhor registo de sempre para as águas abertas portuguesas, obtido por Daniela Inácio em Pequim2008.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.