No Estádio Bonifika, localizado nas margens do mar Adriático, o golo solitário de Fábio Vieira, aos 68 minutos, possibilitou a terceira estreia vitoriosa consecutiva da formação das ‘quinas’ no principal torneio europeu de seleções no escalão de esperanças.

Finalista vencido em 1994 e 2015 e ausente em 2019, Portugal partilha a liderança da ‘poule’ com os mesmos três pontos da Suíça, que horas antes tinha surpreendido a Inglaterra (1-0), adversária da formação de Rui Jorge no domingo, em Ljubljana.

Os dois primeiros colocados do Grupo D passam à ronda eliminatória (quartos de final, meias-finais e final) do Europeu de sub-21, destinada às oito melhores seleções, que decorrerá entre 31 de maio e 06 de junho, na Hungria e Eslovénia.

O conjunto nacional manteve vários habituais titulares utilizados durante a fase de qualificação e apostou em Diogo Dalot para cobrir o flanco esquerdo, enquanto Pedro Gonçalves e o estreante Tiago Tomás acompanharam Francisco Trincão no ataque.

Portugal entrou com mais bola, mas sentiu dificuldades para transformá-la num futebol criativo, permitindo que a Croácia testasse Diogo Costa num cabeceamento frouxo de Bartol Franjic e num disparo colocado Lovro Majer ao longo do quarto de hora inicial.

Os pupilos de Rui Jorge soltaram amarras com o avanço do relógio e construíram uma dupla chance aos 25 minutos, quando Martin Erlic bloqueou um forte remate de Tiago Tomás e, na sequência do canto, Diogo Queirós atirou ao poste da baliza adversária.

Nove minutos depois, Pedro Gonçalves ganhou espaço à entrada da área e rematou para defesa apertada de Adrian Semper, num sinal do maior ritmo incutido pelos lusos, que ainda viram Gedson, isolado na esquerda, chutar às malhas laterais, aos 38.

A equipa de Igor Biscan concedia cada vez mais a iniciativa, embora nunca se tenha intimidado na altura de acionar contra-ataques, capítulo no qual Nikola Moro e Sandro Kulenovic, aos 31 e 41 minutos, respetivamente, voltaram a incomodar Diogo Costa.

A resposta portuguesa chegou dois minutos pelos pés de Vítor Ferreira, num lance que resumiu a preferência da equipa das ‘quinas’ pelo corredor central e a importância do guarda-redes croata Adrian Semper na forma como fez persistir o ‘nulo’ ao intervalo.

A toada entretida prolongou-se na etapa complementar, conforme expressaram um pontapé intercetado de Francisco Trincão (54 minutos) e uma tentativa frustrada de ‘chapéu’ de Pedro Gonçalves (55) face à investida desenquadrada de Lovro Majer (49).

Rui Jorge mexeu três unidades de uma assentada à hora de jogo e colheu frutos dessa decisão aos 68 minutos, com Dany Mota a captar o esférico de costas para a baliza e servir em profundidade Fábio Vieira, que se impôs à saída do inspirado Adrian Semper.

Obrigada a arriscar na reta final, a formação de Igor Biscan só conseguir ameaçar num ‘tiro’ inofensivo de Luka Ivanusec, numa fase em que imperou o controlo emocional de Portugal, que ainda viu Diogo Leite desperdiçar uma finalização clamorosa a acabar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.