O ex-dirigente, de 72 anos, e que presidiu à CBF entre 1989 e 2012, é acusado de ter violado o código de ética da FIFA, por “subornos na adjudicação de contratos e direitos televisivos e marketing”.

De acordo o Comité e Ética da FIFA, Ricardo Teixeira, cujo sogro foi o ex-presidente da FIFA João Havelange, já falecido, as infrações em relação aos direitos da CBF, CONMEBOL e CONCACAF dizem respeito ao período entre 2006 e 2012.

Na nota, publicada na página do organismo máximo do futebol mundial, Ricardo Teixeira é também ‘condenado’ ao pagamento de uma multa de um milhão de francos suíços (cerca de 908.000 euros).

Ricardo Teixeira deixou a presidência do futebol brasileiro em março de 2012, ainda antes do final do mandato, depois de ver o seu nome envolvido em vários processos, entre os quais a investigação dos Estados Unidos a dirigentes da FIFA.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.