Os campeões nacionais e detentores da Taça de Portugal continuam na luta pela oitava Supertaça de andebol e vão defrontar, no domingo, às 17:00, o Sporting, que venceu hoje o Águas Santas (35-30), na outra meia-final da prova disputada na Nazaré.

O clássico entre ‘águias’ e ‘dragões’ teve um arranque lento, com muitas faltas, três exclusões para cada lado e muitos golos falhados, sobretudo pelo FC Porto que errou muitos remates de meia distância.

Os ‘encarnados’, que já iniciaram as competições oficiais na nova época, na Liga Europeia de andebol, conseguiram uma primeira parte muito competente, com o rigor defensivo a criar dificuldades no ataque dos ‘dragões’ o que permitiu construir e gerir uma vantagem no marcador.

Aos cinco minutos o Benfica vencia por 3-0, resultado anulado com três golos consecutivos de Ivan Sliskovic (num total de quatro nos primeiros 30 minutos), mas os lisboetas voltaram a ganhar vantagem e aguentaram os campeões nacionais.

Ole Rahmel, com três golos, esteve em evidência no Benfica até ao intervalo, a par do guarda-redes Capdeville, enquanto no FC Porto o reforço dinamarquês para a baliza, Sebastian Frandsen, impediu o adversário de ter um resultado mais desnivelado.

Acabaram por fazer falta os golos falhados aos lisboetas, que fizeram os mesmos 12 golos que no primeiro tempo, mas não tiveram capacidade de reação perante a segunda parte de nível superior do adversário, que quase duplicou o registo ao intervalo de 10 golos.

Na reviravolta teve responsabilidade Fábio Magalhães, que apenas jogou na segunda parte mas foi a tempo de ser o melhor marcador do FC Porto, com cinco golos.

Em 10 minutos, entre os 35 e os 45, a formação do Porto empatou e virou o resultado a seu favor, com três golos de vantagem. Nesta fase, os remates de meia distância já tinham melhor direção, mas os golos dos pontas também contribuíram para a ‘remontada’.

Com o aproximar do final as ‘águias’ perderam a concentração e acabaram por ver o marcador desnivelar até aos cinco golos de diferença.

No domingo, a partir das 17:00, no pavilhão nazareno, o FC Porto procura conquistar a sua oitava Supertaça e destacar-se do ABC no ‘ranking’ de vencedores da prova, enquanto o Sporting tenta erguer pela quarta vez o troféu, cuja edição de 2020 não foi disputada devido à pandemia de covid-19.

Jogo no Pavilhão Municipal da Nazaré.

FC Porto — Benfica, 29-24.

Ao intervalo: 10-12.

Sob a arbitragem de Daniel Martins e Roberto Martins, as equipas alinharam e marcaram:

– FC Porto (29): Nikola Mitrevski, Rui Silva (1), Diogo Silva (3), Ivan Sliskovic (4), Pedro Valdes, António Areia (3) e Diogo Branquinho (1). Jogaram ainda: Sebastian Frandsen, Victor Iturriza (3), Pedro Cruz, Diogo Oliveira, Djibril Mbengue (1), Daymaro Salina (2), Leonel Fernandes (2), Miguel Alves (4), e Fábio Magalhães (5).

Treinador: Magnus Andersson.

– Benfica (24): Gustavo Capdeville, Jonas Kallman (3), Alexis Borges (1), Ole Rahmel (3), Lazar Kukic (3), Rogério Ferreira (2) e Petar Djordjic (5). Jogaram ainda: Mahamadou Keita (1), Arnau Barcelo, Belone Moreira (2), Paulo Moreno, Carlos Martins, Sergey Ferrer, Demis Grigoras (4), Tadej Kljun e José Silva.

Treinador: Chema Rodríguez.

Marcha do marcador: 0-2 (05 minutos), 2-3 (10), 3-5 (15), 4-8 (20), 7-11 (25), 10-12 (Intervalo), 13-14 (35), 17-16 (40), 20-17 (45), 22-19 (50), 25-21 (55) e 29-24 (resultado final).

Assistência: Cerca de 350 espetadores.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.