Na conferência de imprensa que anunciou o combate, Nobuyuki Sakakibara, presidente da RIZIN e ex-presidente da Pride (uma organização japonesa de artes marciais que já foi a maior promotora de MMA do mundo, antes de ser comprada pelo UFC em 2006) explicou os motivos que fazem desta parceria com Mayweather algo que faz todo o sentido.

“Penso que a resposta mais direta é o facto de estarmos alinhados em conseguir alcançar algo juntos; isso passará por atingir um novo desafio, um passo em frente naquilo maravilhoso que podemos criar em conjunto”, explicou Sakakibara, de acordo com o MMA Fighting.

O norte-americano, que entretanto já publicou nas redes sociais uma fotografia com as luvas de MMA, parece estar em sintonia com a promotora nipónica. "[A RIZIN] tem feito um trabalho extraordinário com os lutadores. Estou ansioso para vos entreter a 31 de dezembro, mas a minha relação com a RIZIN não se vai ficar por aqui. Tenho expetativas para levar isto ao mundo”, disse.

Todavia, de acordo com o MMA Fighting, não foram anunciados, de forma exata, os termos do combate. Sakibara apenas revelou que a luta vai ter “regras especiais”, mas de resto não indicou se serão mais próximas do boxe, kickboxing ou MMA. Também não foi referido o peso ou categoria em que os lutadores vão ter que bater na balança antes de se enfrentarem.

Floyd Mayweather, aos 41 anos, mantém-se invencível na carreira com um registo de 50-0 em boxe, tendo no último combate derrotado o irlandês Conor McGregor (lutador irlandês que trocou o octógono pelo ringue para o enfrentar), em Las Vegas. Era a sua última luta, "de certeza". A 27 de agosto de 2017, em mais um Combate do Século, justificava esta afirmação: tinha "escolhido o parceiro certo para a última dança”. No entanto, a verdade é que vai voltar a lutar e regressar, só não se sabe em que moldes. E sobre o próximo adversário, fez questão de sublinhar que se trata de um “jovem muito forte, bastante rápido e invencível, por isso é óbvio que está a fazer alguma coisa certa”.

Tenshin Nasukawa, 20 anos, apresenta-se com um registo de 27-0 como kickboxer e 4-0 em MMA. E acredita que o combate com o norte-americano vai alcançar uma grande visibilidade e vai arrancar bons números a nível de audiência.

“Diria que, provavelmente, até ver, este é o maior evento da minha vida. E estou muito contente que isto se tenha materializado. Ninguém venceu o meu adversário no passado. E eu gostava de ser o homem que fará história. O meu soco pode mudar a história e vou mostrar-vos isso, portanto, por favor, mantenham-se atentos”, disse o jovem japonês.

No último combate, Nasukawa, a 13 de setembro, derrotou o antigo candidato ao cinturão na categoria de Peso Galo (61kg) do UFC, Kyoji Horiguchi, numa luta de três assaltos em Kickboxing.

“O meu adversário aparenta ser mais alto do que realmente é; penso que isso tem que ver com a aura que tem, mas penso que lhe consigo atingir”, acrescentou.

A conferência de imprensa completa:


Notícia atualizada às 12:53. Altera título e corpo de texto. 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.