"A situação financeira está muito melhor do que estava em setembro de 2018. É a ideal? Não e isso limita-nos no mercado, claro. A reestruturação financeira é um processo longo e muito duro, mas leal, que estamos a ter com os bancos. Defendemos os nossos interesses e os bancos os deles, está prestes a finalizar e temos boas expectativas destas negociações, mas não posso entrar em detalhes", disse, numa entrevista de 50 minutos à Sporting TV realizada na Academia do clube, em Alcochete.

Frederico Varandas, que tomou posse como presidente do Sporting em 09 de setembro de 2018, disse que o balanço do seu primeiro ano de mandato "é muito positivo".

"Encontrámos um clube estilhaçado, os cinco principais jogadores tinham rescindido sem compensação financeira e desportiva, tínhamos necessidades de tesouraria de 100 milhões de euros, 42 dos quais a clubes que ninguém pagou e tivemos que pagar nós", começou por explicar.

Varandas lembrou que, para isso, teve que fazer um empréstimo obrigacionista e a securitização do contrato da NOS em pouco tempo.

"Conseguimos resolver alguns processos de rescisão, conseguimos um terceiro lugar e dois títulos [taças da Liga e de Portugal], isto é uma época muito positiva", disse.

Varandas, que elegeu como melhor momento o dia seguinte à conquista da Taça de Portugal na época passada e o pior a final da Supertaça, em agosto passado (derrota por 5-0 com o Benfica), disse ainda que, hoje, o "Sporting está muito melhor, muito mais governável".

O presidente do Sporting lamentou ainda a contestação interna que se sente "só nos desaires".

"Ao primeiro desaire aparecem os esqueletos do armário do costume«, mas não ouvi uma palavra quando ganhámos a Taça da Liga e a Taça de Portugal. Eu tenho defeitos, mas não sou estúpido e os sportinguistas também não gostam disso. Sem humildade democrática, intitulam-se porta-vozes da desgraça", disse.

O líder dos 'leões' disse ainda que a prioridade do próximo ano é "continuar com muito rigor financeiro e, desportivamente, uma aposta forte na formação".

"Não tenho medo do caminho das pedras, já andei sobre lama, pedras e até a dispararem sobre mim, haja cães a ladrar, haja tiros, este é o caminho que o Sporting vai fazer", frisou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.