Sem adversário neste Congresso, Infantino foi eleito para o segundo mandato pelas 211 federações que compõem a FIFA.

Infantino, de 49 anos, foi eleito pela primeira vez em fevereiro de 2016 para completar o mandato de Joseph Blatter, que foi suspenso por estar envolvido num caso de corrupção no organismo.

No discurso de abertura do Congresso, Infantino diz que desde a sua chegada a FIFA deixou de ser “tóxica, quase criminosa” e que agora é “sinónimo de credibilidade, confiança, integridade, igualdade e direitos humanos”.

“Lembrem-se do estado da FIFA nesse congresso [em 2016]. Os últimos três anos e quatro meses não foram certamente perfeitos. Certamente que cometi erros, mas tentei melhorar. Hoje, num dia de eleição, ninguém fala de crise. Ninguém fala de reconstruir a FIFA do início, ninguém fala de escândalos, ninguém fala de corrupção”, referiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.