“Decidimos tomar medidas para prevenir uma epidemia em Tóquio, Kyoto e Okinawa”, disse o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, admitindo estar preocupado com um eventual colapso do sistema de saúde nessas regiões.

A governadora da capital japonesa, Yuriko Koike, destacou a necessidade de “controlar as infeções” antes dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que foram adiados para este ano devido à pandemia e deverão decorrer entre 23 de julho e 08 de agosto.

As novas medidas, que deverão vigorar entre a próxima segunda-feira e 11 de maio, preveem horários de funcionamento mais curtos para bares e restaurantes, apontados como grandes focos de disseminação do vírus, desde o levantamento do estado de emergência, há cerca de três semanas.

A cidade de Osaka, no oeste do país, reforçou recentemente as medidas sanitárias, devido a um surto de infeções pelo novo coronavírus, tendo cancelado a passagem da chama olímpica na via pública.

O Japão, que desde janeiro de 2020 contabilizou 9.300 mortes por covid-19, tem registado nos últimos dias um aumento de casos de infeção significativo sobretudo nas grandes cidades.

A campanha de vacinação para a população em geral ainda não arrancou, estando apenas a ser vacinados idosos e profissionais de saúde.

Devido à pandemia de covid-19, que em Portugal já causou 16.899 mortos, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio2020, previstos para o verão passado, foram adiados em cerca de um ano.

Os Jogos Olímpicos vão decorrer entre 23 de julho e 08 de agosto, enquanto os Paralímpicos devem disputar-se entre 24 de agosto e 5 de setembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.