“Decidimos cancelar os eventos que promovam ajuntamentos de pessoas. Em compensação, utilizaremos de forma mais intensiva a Internet para recriar o ambiente dos Jogos e difundir numerosas informações culturais”, explicou Koike.

Na sexta-feira, a organização dos Jogos Olímpicos, que foram adiados por um ano devido à pandemia e vão realizar-se entre 23 de julho e 08 de agosto, tinha revelado a pretensão de ter público nos eventos, apesar de um grupo de peritos médicos japoneses o desaconselhar.

A decisão quanto à presença de espetadores japoneses nas bancadas — os estrangeiros não autorizados a viajar para o Japão – deve ser anunciada na segunda-feira, depois de uma reunião com os comités olímpico e paralímpico internacionais, bem como com as autoridades nipónicas.

Os peritos alertaram para a probabilidade do aumento do número de casos de infeção, bem como para a potencial propagação de novas e mais contagiosas variantes do vírus.

Nos últimos meses, o governo tem permitido que no futebol e no basebol os estádios tenham até 50% da capacidade preenchida, pelo que o Estádio Olímpico poderia, segundo este cenário, acolher 34.000 espetadores.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.