Depois de não ter conseguido faturar nos primeiros quatro encontros, três na edição de 2018, e um já na atual, face ao México (0-0), falhando inclusive uma grande penalidade, Lewandowski ‘respirou de alívio’ aos 82 minutos.

No Estádio Education City, em Al Rayyan, o avançado do FC Barcelona aproveitou uma falha da defesa saudita para se isolar e bater Mohammed Al Owais, apontando, então, o segundo tento dos polacos, depois de, aos 39, ter assistido Piotr Zielinski.

Vencedor da ‘Bota de Ouro’ em 2020/21 (41 golos) e 2021/22 (25), sete vezes melhor marcador da ‘Bundesliga’ e segundo melhor da história da prova, ‘rei’ dos goleadores da ‘Champions’ em 2019/20 e terceiro da lista histórica, o polaco precisou de 442 minutos, fora descontos, para marcar num campeonato do Mundo.

Lewandowski, atual melhor marcador da Liga espanhola (13 golos), estreou-se apenas em 2018, já que, depois da presença de 2006, na qual não participou (atuava no terceiro escalão da Polónia), os polacos não conseguiram o apuramento para as edições de 2010, na África do Sul, e 2014, no Brasil.

Há quatro anos, ainda jogador do Bayern Munique – que representou de 2014/15 a 2021/22, depois de quatro épocas no Borussia Dortmund (2010/11 a 2013/14) -, estreou-se em 19 de junho, em Moscovo, face ao Senegal, e da pior forma.

Os polacos perderam por 2-1 com os africanos, num embate em que foi Grzegorz Krychowiak a apontar o golo dos europeus, que, então, já perdiam por 2-0.

Se o primeiro jogo não correu bem, o segundo, cinco dias depois, em Kazan, foi ainda pior, já que a Polónia perdeu por 3-0 com a Colômbia, ficando desde logo sem hipóteses de se qualificar para os oitavos de final.

No último encontro, em 28 de junho, em Volgograd, Robert Lewandowski jogou, pela terceira vez, os 90 minutos, e somou a primeira vitória, mas sem faturar, já que o triunfo foi materializado por Jan Bednarek, aos 59 minutos.

Já como ‘The Best’, prémio da FIFA para o melhor do ano que recebeu em 2020 e 2021, avançado polaco voltou ao Mundial no Qatar, em 2022, e ainda não foi ao quarto jogo que conseguiu estrear-se a marcar.

Na terça-feira, no Estádio 974, em Doha, o jogador de 34 anos até teve uma grande oportunidade, quando a Polónia beneficiou de um penálti, aos 58 minutos, mas, então, falhou no frente a frente com o mexicano Guillermo Ochoa, que defendeu.

O falhanço custou dois pontos à Polónia, que empatou a zero, mas Lewandowski não veio ‘derrotado’ para a segunda jornada e, hoje, em Al Rayyan, face à Arábia Saudita, a ‘carrasca’ da Argentina (2-1 na primeira ronda), não parou de tentar o golo.

Aos 39 minutos, não marcou, mas ainda conseguiu assistir Piotr Zielinski, viu o poste esquerdo devolver-lhe um remate ‘falhado’, aos 66, mas, aos 82, logrou, finalmente, o golo, isolado, após uma falha da defesa saudita.

Lewandowski, que em Europeus tinha marcado cinco golos em 11 jogos, espalhados pelas de edições de 2012, 2016 e 2020, não escondeu a emoção e chorou, de felicidade, de alívio. Já tem, finalmente, um golo no campeonato do Mundo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.