Em conferência de imprensa no Estádio dos Balaídos, Mourinho confirmou ainda os regressos, após lesão, dos defesas Chris Smalling e Phil Jones e do médio Paul Pogba, além da disponibilidade de Eric Bailly e de Juan Mata para o jogo de quinta-feira (20:05), ainda que o espanhol “provavelmente não possa fazer os 90 minutos”.

Quanto ao adversário, o técnico prevê um jogo “muito difícil” frente a uma equipa que “pode pensar só na Liga Europa, descansar jogadores e estar na máxima condição” devido à “situação confortável” na liga espanhola.

“Numa competição com tantas equipas, com muito bom equilíbrio, qualquer equipa na fase a eliminar estava ao mesmo nível, e eles [Celta] conseguiram chegar à semifinal. Acho que isso diz tudo”, sentenciou o português, de 54 anos, sobre o 11.º classificado da liga espanhola.

Para o Manchester United, quinto na liga inglesa, a Liga Europa é “ainda mais importante” no contexto complicado de várias lesões que assolam o plantel e devido ao elevado número de jogos da equipa, que em abril disputou nove encontros, considerou o português.

Quanto ao regresso a Espanha, onde orientou o Real Madrid de 2010 a 2013, Mourinho disse que “para os portugueses, estar na Galiza é estranho”, por não saberem "se se sentem em casa ou não".

“Sinto-me relaxado. Vou desfrutar do jantar, de certeza que a comida será ótima, mas amanhã [quinta-feira] é trabalho, trabalho, trabalho”, acrescentou, reforçando ainda que vencer a competição, a segunda mais importante a nível europeu, seria “uma boa conquista” que permitiria “regressar à Liga dos Campeões”, pelo que equaciona poupar jogadores no jogo de domingo, na visita ao Arsenal, na 36.ª jornada da liga inglesa.

“Se tivermos de descansar jogadores no próximo fim de semana, então vamos fazer isso”, considerou o treinador, que revelou ainda que no caso de passagem à final, objetivo em que tem “50% de hipóteses”, os jogadores escalados para o jogo decisivo, a 24 de maio, “não jogarão no domingo anterior”, na receção ao Crystal Palace na última jornada da ‘Premier League’.

Também presente na conferência de imprensa, o defesa Antonio Valencia disse que o mais importante para o plantel era “a conquista do troféu” e não a qualificação para a Liga dos Campeões, destacando a “qualidade” do Celta de Vigo.

O técnico dos espanhóis, Eduardo Berizzo, espera que o plantel seja “fiel a si mesmo” e à “identidade forte” que construiu com os jogadores, baseada em “muita posse de bola, muita pressão e o desejo de recuperar a bola rapidamente”.

“A única forma de vencermos é sermos fiéis a nós mesmos”, acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.