Os minhotos, oitavos classificados, com seis pontos, após os triunfos sobre FC Porto (3-2) e Tondela (1-0), podem alcançar a terceira vitória consecutiva em Portimão, algo que não conseguem, para o campeonato, desde dezembro de 2018.

Luís Castro reiterou que o passado não tem qualquer relevância para o jogo e que os três pontos interessam pela posição a que a equipa pode subir.

"O nosso foco está totalmente direcionado para o jogo com o Portimonense. É claramente um jogo importante para nós. Uma vitória dar-nos-ia três pontos que nos levariam a uma classificação confortável na tabela e dentro dos objetivos que queremos atingir no final da época", disse, na conferência de antevisão do jogo com os algarvios.

O adversário do Vitória é o ‘lanterna vermelha' da I Liga, com um ponto, mas Luís Castro considera que as quatro jornadas cumpridas são tão irrelevantes para a sua equipa, como para o Portimonense, formação com "bons jogadores" e um "bom treinador", António Folha.

O técnico realçou que o Vitória vai encontrar, no Algarve, um "contexto difícil de ultrapassar" e rejeitou, por isso, assumir qualquer favoritismo, afirmando que "dar percentagens de sucesso a cada uma das equipas" é um preconceito instituído no futebol.

"Não adianta de nada dizer se somos ou não favoritos. António Folha está a pensar ganhar o jogo e eu estou a pensar ganhar o jogo, com os nossos adeptos, com os nossos jogadores, com a nossa estrutura", justificou.

O jogo com o Portimonense marca também o regresso de ambas as equipas à competição, após três semanas sem jogos oficiais, e o técnico mostrou-se "esperançado" numa "maior consistência da equipa", que consiga expressar a "evolução das dinâmicas ofensivas e defensivas" até agora trabalhadas.

Luís Castro realçou que, apesar dos cinco golos marcados em dois jogos fora de casa, o jogo de Portimão vai ser diferente dos realizados com Benfica (derrota por 3-2) e FC Porto (triunfo por 3-2), apesar da equipa poder aproveitar "um ou outro espaço" para manter o rendimento ofensivo até agora exibido.

A comitiva vimaranense parte hoje para o Algarve, mas sem os avançados Welthon, que contraiu uma entorse no tornozelo esquerdo, após ter sido titular nos últimos dois jogos do campeonato, e Oscar Estupiñán, com uma lesão muscular na coxa direita.

O treinador admitiu que prefere "trabalhar com todos os jogadores" e dispor de uma "escolha alargada", mas realçou que vai encontrar soluções para o ataque, até porque, sob o seu comando, o Vitória vai ser sempre "uma equipa que olha ao coletivo e não às suas individualidades".

O Vitória de Guimarães, oitavo classificado, com seis pontos, defronta o Portimonense, 18.º e último, com um, às 20:30 de domingo, no Estádio Municipal de Portimão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.