Em declarações difundidas pela equipa Tech3, pela qual alinha o piloto de Almada, Oliveira admitiu que foi "um fim de semana desapontante".

"Depois de ver a corrida, podia ter terminado facilmente no ‘top-5’ ou no pódio, arrisco mesmo dizer", frisou.

Miguel Oliveira considerou que é "muito frustrante nem sequer ter começado a corrida devido ao incidente da primeira curva".

"Tive azar, não havia nada que pudesse ter feito para evitar a queda. É a primeira curva, toda a gente está a tentar ganhar posições, pelo que é normal que às vezes se meça mal o ponto de travagem", explicou.

No entanto, o piloto, de 25 anos, lembrou que "há mais corridas este ano", pelo que esta desistência "não é o fim do mundo": "Guardamos os pontos positivos deste fim de semana e continuamos rumo ao próximo", concluiu.

Miguel Oliveira é agora 13.º classificado do Mundial de MotoGP, com oito pontos, num campeonato liderado pelo francês Fabio Quartararo (Yamaha), que tem 50, depois de hoje ter vencido a segunda corrida consecutiva, à frente do espanhol Maverick Viñales (Yamaha) e do italiano Valentino Rossi (Yamaha).

A próxima corrida é o GP da República Checa, que se disputa no circuito de Brno, de 07 a 09 de agosto.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.