Segundo a Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), a atleta sofreu uma entorse na tibiotársica direita com rotura do ligamento talofibular anterior, ficando de fora do primeiro grupo que viajou hoje de Lisboa para Londres, onde vão ser disputados os Mundiais, entre sexta-feira e 13 de agosto.

Após exames feitos na segunda-feira, a avaliação feita pelo departamento médico da FPA determinou que a lesão não é recuperável até sábado, dia da prova dos 10.000 metros.

A atleta natural de Santo Tirso, de 31 anos, sagrou-se campeã da Europa na meia-maratona, em 2016, ano em que desistiu da maratona olímpica devido a uma fratura de stress, distância em que foi quarta em Nova Iorque em 2015, depois de ter sido terceira em 2014.

Antes, em 2013, conquistou o título mundial em pista coberta nos 3.000 metros, além de ter sido 14.ª nos 10.000 metros em Londres2012 e 22.ª nos 3.000 metros obstáculos em Pequim2008.

"Eu sofri muito esta época e não sei o que falhou desta vez"

"Eu queria muito que os meus novos sapatos pisassem o estádio olímpico, dessem orgulhosamente 25 voltas e me fizessem feliz. Eu sofri muito esta época para chegar ao nível mundial e não sei o que falhou desta vez, mas um entorse no pé direito, acompanhado de rotura do ligamento talofibular anterior, faz com que acompanhe o Campeonato do Mundo do lado de cá. Desejo a maior força aos meus colegas e início a recuperação para voltar o mais rápido possível", escreveu Sara Moreira na sua página no Facebook.

Segundo a Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), Sara Moreira sofreu uma entorse na tibiotársica direita com rotura do ligamento talofibular anterior, ficando de fora do primeiro grupo que viajou hoje de Lisboa para Londres, onde vão ser disputados os Mundiais, entre sexta-feira e 13 de agosto.

Após exames feitos na segunda-feira, a avaliação feita pelo departamento médico da FPA determinou que a lesão não é recuperável até sábado, dia da prova dos 10.000 metros.

Sara Moreira, que também detinha mínimos para a maratona, deixa Carla Salomé Rocha como única representante lusa na prova dos 10.000 metros, reduzindo a comitiva portuguesa para 21 atletas.

A atleta natural de Santo Tirso, de 31 anos, sagrou-se campeã da Europa na meia-maratona, em 2016, ano em que desistiu da maratona olímpica, devido a uma fratura de stress, distância em que foi quarta em Nova Iorque em 2015, depois de ter sido terceira em 2014.

Antes, em 2013, conquistou o título mundial em pista coberta nos 3.000 metros, além de ter sido 14.ª nos 10.000 metros em Londres2012 e 22.ª nos 3.000 metros obstáculos em Pequim2008.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.