Já Gastão Elias foi vítima do maior ‘tombo’ no grupo dos 100 melhores do mundo, tendo recuado 20 posições, ao surgir na lista de hoje em 86.º lugar.

Ainda entre os portugueses, Pedro Sousa manteve-se fixo na posição 186.

Depois de atingir a sua melhor classificação de sempre a 24 de outubro, após ter chegado aos quartos de final do torneio de Estocolmo, no qual eliminou na segunda ronda o francês Gael Monfils, sexto da classificação, Gastão Elias foi afastado logo à primeira nos dois torneios que disputou a seguir.

O número dois português perdeu logo nas rondas inaugurais dos ‘challengers’ (segunda divisão do circuito) de Lima e Guaiaquil, Equador, prestações que o arredaram agora do ‘top-60′.

Quanto a Murray, o britânico já sabia desde sábado que ia ‘destronar’ o sérvio Novak Djokovic, que liderava a classificação há 223 semanas, a primeira vez a 04 de julho de 2011.

Com Djokovic eliminado nos quartos de final do Masters 1000, Murray só precisava de chegar à final do torneio parisiense para ser ‘coroado’, o que veio a acontecer, com o britânico a desfazer todas as dúvidas ao sagrar-se campeão da prova francesa.

Murray conta no seu palmarés com três títulos do ‘Grand Slam’ (US Open, em 2012, e Wimbledon, em 2013 e 2016) e duas medalhas de ouro olímpicas (Londres, em 2012, e Rio de Janeiro, em 2016).

No total, o britânico soma 43 títulos na carreira.

Em ‘pausa’ de férias, o circuito feminino não regista alterações no grupo das dez melhores do mundo, numa hierarquia que encerrou com a alemã Angelique Kerber no primeiro lugar.

Nos ‘acertos’ das contas, a número um portuguesa, Michelle Larcher de Brito, desceu uma posição, aparecendo na lista de hoje no lugar 233.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.