Depois do All-Star Game, onde marcaram presença 26 dos melhores jogadores da competição, as All-NBA Teams são uma honra exclusiva de apenas quinze atletas, divididos por três equipas que têm que incluir dois bases, dois extermos e um poste, numa escolha feita por um painel de jornalistas e comentadores norte-americanos e canadianos.

A distinção é especialmente importante para os atletas, até porque influencia, por exemplo, o valor máximo que um jogador pode receber num contrato. Kareem Abdul-Jabbar, Kobe Bryant e Tim Duncan são os jogadores da história da NBA com mais presenças em All-NBA Teams, com quinze, enquanto LeBron James é o atleta no ativo escolhido mais vezes para integrar estes cincos de elite (14). Eis as nossas apostas para esta temporada:

ALL-NBA FIRST TEAM

Steph Curry (Golden State Warriors): 28.3pts, 5.2reb, 5.2ast, 48.0 FG%, 43.5 3P%, 92.0 FT%
O base dos bicampeões até falhou alguns jogos devido a lesão e não é o melhor jogador da equipa, mas é, sem dúvidas, o mais importante. Kevin Durant é mais completo e, provavelmente, o melhor jogador do planeta, mas a formação de Oakland foi construída à volta de Curry e do seu alcance de lançamento ímpar na história do jogo. Ser o melhor marcador numa equipa que conta com Durant já é um feito, mas Curry fá-lo com uma eficiência absolutamente anormal (48.0 FG%, 43.5 3P%, 92.0 FT%). E tudo isto com um sorriso na cara e a leveza de um miúdo.

James Harden (Houston Rockets): 36.7pts, 6.5reb, 7.5ast, 2.2stl
É o melhor marcador da NBA, com mais 8.1 pontos de média por jogo do que o segundo da lista, o que, por si só, é de deixar o queixo caído. Depois de um arranque de temporada muito abaixo do esperado - os Rockets chegaram a ocupar a 14.ª e penúltima posição do Oeste - e após a lesão de Chris Paul, o barbudo pegou na equipa às costas e cozinhou uma série de 32 jogos consecutivos com 30 ou mais pontos. Resultado? Os Rockets estão, hoje, na quarta posição da conferência e com legítimas aspirações de subirem mais alguns lugares até ao fim da época.

Paul George (Oklahoma City Thunder): 28.6pts, 8.1reb, 4.2ast, 2.3stl, 39.1 3P%
Ser o melhor jogador, de longe, de uma equipa onde atua Russell Westbrook não é para todos. PG13 está na melhor forma de sempre e regista máximos de carreira em pontos, ressaltos, assistências e roubos de bola. Não é por acaso que alguns analistas o coloquem como candidato a "not one, not two" mas três prémios individuais: Melhor Jogador (MVP), Defensor do Ano (DPOY) e Jogador que Mais Evoluiu (MIP). E fazer tudo isto depois da lesão gravíssima que sofreu em 2014 é uma das narrativas mais espetaculares da história recente da liga norte-americana.

Giannis Antetokounmpo (Milwaukee Bucks): 27.1pts, 12.6reb, 6.0ast, 1.4stl, 1.5blk
O "Greek Freak" é o principal candidato ao prémio de MVP e é fácil justificar porquê. É o melhor jogador da equipa com o melhor registo vitórias/derrotas da temporada. Mas não só. Antetokounmpo regista máximos de carreira em pontos, eficácia de lançamento, ressaltos e assistências, duplos-duplos e triplos-duplos. E desde que mudou o ano civil está a lançar com uma eficácia de 33.8% de três pontos, melhorando a única área do jogo em que (ainda) não domina. Porque a palavra que serve para resumir a temporada de sonho do grego é mesmo essa: domínio.

Joel Embiid (Philadelphia 76ers): 27.3pts, 13.5reb, 3.5ast, 1.9blk
Quinto melhor marcador, terceiro melhor ressaltador e sétimo no ranking dos desarmes de lançamento de toda a liga, Joel Embiid é a superestrela do "Big 4" dos 76ers. A cara do "Processo" tem conseguido manter-se saudável e, por isso, está a assinar a melhor época da carreira, ajudando o conjunto de Philadelphia a tornar-se um sério candidato a vencer o Este. Para quem começou a jogar basquetebol há apenas oito anos, ser o melhor poste da melhor liga do mundo é um feito notável para o camaronês, que também continua a ser o rei das redes sociais.

ALL-NBA SECOND TEAM

Kyrie Irving (Boston Celtics): 23.4pts, 4.9reb, 7.0ast, 1.5stl, 41.7 3P%
Apesar de estar a ser mais falado pela "free agency" e pelo que vai dizendo fora das quatro linhas, Kyrie continua a ser um dos jogadores mais excitantes da NBA. Os seus "handles" são dos melhores da história do jogo e os Celtics precisam do seu base ao melhor nível se quiserem superar o registo da época passada, vencer o Este e chegar às Finais.

Damian Lillard (Portland Trailblazers): 26.3pts, 4.6reb, 6.4ast
Os Trailblazers desiludiram nos playoffs da última temporada - foram varridos (0-4) pelos New Orleans Pelicans - e Lillard quer um final de época diferente, para melhor, este ano. O base continua a ser a principal referência do conjunto orientado por Terry Stotts e nunca desilude, em especial nos minutos decisivos dos jogos, a.k.a. "Dame time".

Kawhi Leonard (Toronto Raptors): 27.0pts, 7.4reb, 3.3ast, 1.9stl
Depois de ter disputado apenas nove jogos na época passada, Kawhi rumou ao Canadá e surgiu na sua melhor versão. Defensor de elite, é agora um atacante de excelência e, mais importante para os Raptors, um "upgrade" nos dois lados do campo em relação a DeMar DeRozan. Se levar os canadianos às Finais, vai ser o último a rir. Ou seja, venham memes.

Kevin Durant (Golden State Warriors): 27.5pts, 6.8reb, 5.7ast, 1.2blk
É, para muitos, o melhor jogador do mundo, sobretudo com o aparente declínio de LeBron James. As polémicas declarações que proferiu sobre a "free agency", numa espécie de «Show me the money!» à la Tom Cruise, podiam até ensombrar a sua prestação dentro de campo, mas a verdade é que continua um verdadeiro assassino. Absolutamente imparável.

Nikola Jokic (Denver Nuggets): 20.5pts, 10.8reb, 7.7ast, 1.4stl
O poste sérvio é gordo, corre pouco e parece que goza com os adversários, mas é um triplo-duplo à espera de acontecer em cada nova partida. Neste estilo muito idiossincrático, Jokic lidera os Nuggets a um inacreditável segundo lugar do Oeste. A prova de fogo será a fase a eliminar da temporada, mas na fase regular o Joker tem superado expetativas.

ALL-NBA THIRD TEAM

Russell Westbrook (Oklahoma City Thunder): 22.9pts, 11.1reb, 10.6ast, 2.0stl
Volta a ter média de triplo-duplo na temporada, o que, por si só, é de loucos. Apesar da paupérrima percentagem no tiro exterior (28.3%), média de triplo-duplo é motivo suficiente para entrar nas Alll-NBA Teams.

DeMar DeRozan (San Antonio Spurs): 21.4pts, 6.2reb, 6.1ast
Os Spurs perderam Kawhi Leonard, Manu Ginobili e Tony Parker e estão na luta pela 22.ª presença consecutiva nos playoffs. Bem podem agraceder a um DeRozan com máximos de carreira em ressaltos e assistências.

LeBron James (Los Angeles Lakers): 27.1pts, 8.6reb, 8.0ast, 1.4stl
Uma lesão no dia de Natal obrigou-o a falhar 18 jogos e os Lakers devem falhar os playoffs por causa disso, mas o "King" superou Michael Jordan na lista de melhores marcadores da história da NBA e continua a ser um dos melhores.

Blake Griffin (Detroit Pistons): 25.2pts, 7.9reb, 5.5ast
Os Pistons foram horríveis de ver jogar durante grande parte da época, mas Griffin, cada vez mais "point-forward" conseguiu ser responsável pela mais que provável conquista de um lugar nos playoffs do Este

Anthony Davis (New Orleans Pelicans): 26.8pts, 12.3reb, 4.0ast, 1.6stl, 2.5blk
Autor do pedido de troca que deixou a NBA virada do avesso, AD é dos jogadores mais completos do jogo - alguém ousa apontar algo que não saiba fazer bem? - e voltou a prová-lo este ano.

Que nos desculpem jogadores que estão a ser autores de grandes temporadas, como Kemba Walker (25.0pts, 4.2reb, 5.8ast, 1.3stl), Bradley Beal (25.8pts, 5.2reb, 5.5ast, 1.4stl) ou Karl-Anthony Towns (24.2pts, 12.2reb, 3.3ast, 1.7blk, 40.1 3P%), mas não há lugar para todos na elite do basquetebol.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.