Boston Celtics
São, muito provavelmente, a equipa da NBA mais desesperada para adicionar talento ao seu elenco e por vários motivos. Em primeiro lugar, porque os resultados têm sido dececionantes. Com 17 derrotas nos primeiros 36 jogos da época, nem o treinador Brad Stevens tem escapado às críticas. Em segundo lugar, porque a ida de Gordon Hayward para Charlotte deu aos Celtics uma «traded player exception» de mais de 28 milhões de dólares, que tem de ser usada no prazo de um ano, e Danny Ainge já confessou que era preferível fazê-lo até 25 de março. O «general manager» acrescentou que a equipa precisa de lançadores, de passadores e de bons defensores e, embora nenhum dos nomes apontados aos Celtics encaixe na perfeição nesse perfil, há jogadores que seriam óbvias mais-valias. Harrison Barnes (Sacramento Kings), Aaron Gordon (Orlando Magic), Norman Powell (Toronto Raptors) e até Thaddeus Young (Chicago Bulls) ou Nemanja Bjelica (Sacramento Kings) seriam um importante auxílio para Jayson Tatum, Jaylen Brown, Marcus Smart e companhia, na tentativa de tornar os Celtics um verdadeiro candidato na conferência Este.

Philadelphia 76ers
Tal como os Celtics, também os 76ers têm motivos de sobra para ir ao mercado. O poste camaronês Joel Embiid está a fazer a melhor época da carreira, ao ponto de ser o favorito ao prémio de MVP, e Ben Simmons é um dos principais candidatos a «Defensive Player of the Year». Mas há mais. A contratação do «general manager» Daryl Morey aos Houston Rockets levou para Philadelphia um dos mais agressivos gestores de toda a liga. Morey falhou a contratação de James Harden, que seguiu rumo aos Brooklyn Nets, rivais no Este, mas estará agarrado ao telemóvel por estes dias. Os 76ers contam com sete jogadores em final de contrato (Danny Green, Mike Scott, Terrance Ferguson, Tony Bradley, Vincent Poirier, Dwight Howard e Furkan Korkmaz) que, juntos, somam mais de 30 milhões de dólares em vencimentos, para além de uma «trade player exception» de mais de 8 milhões de dólares. Kyle Lowry (Toronto Raptors), P.J. Tucker (Houston Rockets), Evan Fournier (Orlando Magic) e J.J. Redick (New Orleans Pelicans) têm sido associados ao conjunto orientado por Doc Rivers.

Golden State Warriors
O «general manager» Bob Myers prometeu esta semana que os Warriors vão assumir uma postura agressiva até ao «trade deadline», para maximizar a janela de títulos de Steph Curry. Apesar das expectativas de Myers para esta época terem levado um banho de realidade após a lesão grave de Klay Thompson, ainda antes do arranque da temporada, o nível a que Curry e Draymond Green têm jogado leva a que o homem forte da equipa de São Francisco sinta que este ano pode ser de sucesso, sobretudo se conseguir rodear a dupla de mais talento, projetando já 2021/22, quando Klay regressar aos campos. Não sendo provável que o «rookie» James Wiseman seja trocado, o mesmo não se poderá dizer do extremo Kelly Oubre Jr., que representa um investimento gigante dos Warriors, entre vencimento anual e «luxury tax». No entanto, o maior argumento que Myers pode usar em negociações é a escolha de primeira ronda do draft de 2021 dos Minnesota Timberwolves que os Warriors detêm, porque uma escolha alta no próximo draft significa Cade Cunningham, Jalen Suggs, Evan Mobley, Jalen Green ou Jonathan Kuminga. E o retorno terá obrigatoriamente de ser grande.


Ouça aqui o episódio desta semana do Bola ao Ar, podcast sobre NBA produzido pela MadreMedia e apresentado por João Dinis e Ricardo Brito Reis:


Miami Heat
Desde que Jimmy Butler garantiu que os Heat vão aos playoffs, a equipa da Flórida venceu seis em sete jogos e chegou à pausa para o All-Star com um registo de 18 vitórias e 18 derrotas. Apesar do mau início de temporada, os playoffs é o mínimo que se pode pedir à equipa de Erik Spoelstra, sobretudo depois da ida às finais do ano passado. Os Heat têm sido manifestamente inconsistentes, em parte por causa das ausências provocadas pela covid-19, mas também pela dificuldade em estabilizar a posição de base titular, por onde já passaram Tyler Herro, Goran Dragić e Kendrick Nunn. Com Kyle Lowry e Victor Oladipo (Houston Rockets) em final de contrato, o presidente Pat Riley poderá tentar uma abordagem ao mercado de trocas, até porque conta com muito talento jovem no plantel (Herro, Nunn e Precious Achiuwa) e contratos apelativos (Dragić, Kelly Olynyk, Andre Iguodala, Meyers Leonard, Avery Bradley e Maurice Harkless) que podem ser usados para atrair um grande nome para o sol de Miami.

Denver Nuggets
Os Nuggets têm um plantel profundo e opções em todas as posições, mas podem avançar para uma troca se houver uma "truta" disponível e que signifique uma melhoria imediata nas ambições da equipa de Nikola Jokić. Bradley Beal, por exemplo. O conjunto de Denver tem vários atletas com bons contratos, que podem ser apetecíveis para outras equipas da liga, como Gary Harris, Will Barton, Paul Millsap e - claro! - Michael Porter Jr.. Ainda assim, Porter Jr. só deverá ser colocado em cima da mesa se, do outro lado, estiver alguém irrecusável, como, lá está, Bradley Beal. Caso pretendam apenas reforçar a posição de «shooting guard», podem apontar baterias para o francês Evan Fournier ou para Buddy Hield (Sacramento Kings). Por outro lado, se a intenção do «front office» dos Nuggets for de minimizar as lacunas defensivas sobejamente conhecidas, P.J. Tucker pode ser um nome atrativo e a um custo bastante inferior ao de jogadores com outro estatuto. Como Bradley Beal.

Charlotte Hornets
A emergência de LaMelo Ball, que levou Michael Jordan a afirmar que os Hornets não esperavam uma adaptação tão rápida à NBA do mais que provável «Rookie of the Year», aliada à consistência do lançamento de Terry Rozier e ao regresso à melhor forma de Gordon Hayward, podem levar os responsáveis da equipa da Carolina do Norte a atacar o mercado para equilibrar o cinco inicial com um bom jogador interior. Andre Drummond, em final de contrato com os Cleveland Cavaliers, assentaria como uma luva numa equipa tão necessitada de um jogador imponente nas áreas mais próximas do cesto, mas Nikola Vučević — há dúvidas sobre se os Orlando Magic estão disponíveis para o negociar — ou Larry Nance Jr. também podem ser aposta. Em alternativa, nomes como os de Al Horford (Oklahoma City Thunder) e LaMarcus Aldridge (San Antonio Spurs) devem ser considerados. Jogadores como Cody Zeller, Malik Monk, Bismack Biyombo e Devonte' Graham, entre outros, podem ser usados como moeda de troca pelos Hornets, que querem mesmo um lugar nos playoffs.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.