Logo aos 10 minutos do Alemanha - Costa Rica, a seleção germânica, através de Serge Gnabry, abriu o marcador. Com 1-0 e com o empate a zeros em Espanha, as duas formações europeias estavam teoricamente classificadas para a fase a eliminar do Campeonato do Mundo. Seguiu-se, um golo de Alvaro Morata, na primeira parte do Espanha - Japão, que reforçou o cenário. Por isto, nada podia preparar qualquer adepto de futebol para o que aí vinha.

No início da segunda parte, em três minutos - Ritsu Doan, aos 48, e Ao Tanaka, aos 51 -, a seleção nipónica virou o marcador e passou a ocupar a primeira posição do grupo, empurrando a equipa espanhola para o segundo posto, em vantagem sobre a Alemanha na diferença de golos. Mas a Costa Rica não quis ficar de parte da equação e em 12 minutos deu a volta ao resultado frente aos antigos campeões mundiais - Ieltsin Tejeda, aos 58 minutos, e Juan Vargas, aos 70.

Aos 70 minutos de ambos os jogos,  era o Japão, em primeiro, e a Costa Rica, em segundo, as seleções em posições de se classificarem para a fase a eliminar. Se tal acontecesse, seriam dois campeões mundiais a cair na fase de grupos.

No entanto, a Alemanha deu uma mão à Espanha, voltou a estar na frente do marcador e consolidou a vantagem com um 4-2, tudo graças a um bis de Kai Havertz,73' e 85', e um golo de Niclas Füllkrug, aos 89. Mais ingrata, a La Roja, que ainda vivia dos benefícios de uma goleada por 7-0 à Costa Rica, superou os alemães na diferença de golos (9-3 contra 6-5), voltando a empurrar a equipa germânica para fora do Mundial na fase de grupos, o que também aconteceu na Rússia, em 2018.

O Japão defronta a Croácia nos oitavos de final, enquanto a Espanha mede forças com Marrocos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.