O AC Milan, um dos maiores clubes de futebol de Itália, foi oficialmente vendido esta quinta-feira ao Rossoneri Sport Investment Lux, um grupo de investidores chineses, por 740 milhões de euros, anunciou o antigo proprietário Fininvest, a 'holding' de Silvio Berlusconi.

O líder do Rossoneri Sport Investment Lux é o empresário chinês Li Yonghong, que deverá ser nomeado presidente do AC Milan na sexta-feira, durante a Assembleia Geral do clube.

“Os termos do acordo são os mesmos que foram tornados públicos em agosto, que avaliavam o clube em 740 milhões de euros e identificavam, em 30 de junho de 2016, uma dívida de 220 milhões de euros”, refere o comunicado conjunto da Fininvest, de Berlusconi, e do Rossoneri Sport Investment Lux.

No mesmo comunicado é referido que foram ainda adicionados 90 milhões de euros para despesas operacionais desde julho do ano passado.

Recorde-se que a venda do gigante italiano a um grupo de investidores chineses, que devia ter sido concretizada no passado dia 3 de março, mas foi uma vez mais adiada, anunciou na altura o diretor-executivo do clube italiano Adriano Galliani.

Silvio Berlusconi concordou em agosto de 2016 vender o clube que presidiu durante três décadas, por cerca de 740 milhões de euros, valor que já inclui 220 milhões de euros de dívida.

Ao logo dos 31 anos na presidência do emblema milanês, Berlusconi conquistou 29 troféus, entre eles oito campeonatos italianos, cinco Liga dos Campeões, cinco supertaças europeias, duas taças intercontinentais e um título mundial de clubes.

[Notícia atualizada às 15:03]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.