Eusébio da Silva Ferreira, lenda do Benfica e da seleção nacional que partiu há 3 anos, completaria esta quarta-feira 75 anos.

A propósito da data, o site da UEFA relembrou a maior conquista de uma das maiores glórias do futebol português: a Taça dos Clubes Campeões Europeus, em 1961/62, ao serviço das águias.

Eusébio, lê-se na publicação, viria a ser "decisivo" no triunfo por 5-3 do Benfica sobre o Real Madrid, na final de Amesterdão, em que que jogador dos encarnados contribuiu com um golo na partida decisiva.

O organismo que tutela o futebol europeu destaca esta como a "exibição que lançou uma carreira" que terminaria com 59 golos em 78 jogos nas competições de clubes da UEFA.

Para além da conquista da Taça dos Campeões Europeus, o site destaca a contribuição de Eusébio no terceiro lugar de Portugal no Campeonato do Mundo de 1966, competição em que foi o melhor marcador com nove golos. O site realça, em particular, os dois tentos apontados no triunfo por 3-1 da seleção lusa sobre o Brasil, na altura, o detentor do troféu. Assim como o 'poker' na "sensacional reviravolta" frente à Coreia do Norte, que terminou com um triunfo da seleção das Quinas por 5-3,  quartos-de-final.

Como prémios individuais, a UEFA relembra ainda a Bola de Ouro, atribuída pela France Football à glória das águias em 1965, e o facto de Eusébio da Silva Ferreira ter sido o terceiro jogador a receber o Prémio do Presidente da UEFA, depois de Alfredo Di Stéfano e Bobby Charlton, ícones do Real Madrid e Manchester United, respetivamente.

Mas é na Taça das Campeões Europeus que o artigo do site da UEFA se foca destacando o "gesto de grande desportivismo" noutra final disputada pelas águias, desta feita em 1968 frente ao Manchester United.

Pode ler-se no site que "nos instantes finais do tempo regulamentar, com o marcador em 1-1, [Eusébio] desferiu um remate fortíssimo à queima-roupa e viu Alex Stepney realizar uma defesa soberba na baliza do United. Eusébio aplaudiu o adversário e deu uma palmada nas costas do guarda-redes. O Benfica saiu derrotado dessa final em Wembley por 4-1".

Eusébio morreu a 5 de janeiro de 2014, vítima de insuficiência cardíaca, a alguns dias de completar 72 anos, e merecendo homenagens de vários pontos do mundo.

A 3 de julho de 2015, os restos mortais do antigo jogador, símbolo do futebol português e considerado um dos maiores desportistas de sempre, foram transladados para o Panteão Nacional.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.